Alcides Nogueira se redimiu com Françoise Forton em Tempo de Amar


Todo autor tem a sua panelinha de atores. É normal. Basta observar que determinado escritor sempre costuma trabalhar com determinados intérpretes. Porém, nem sempre essas escalações privilegiam o talento dos selecionados - ao menos estão trabalhando, é verdade, pois várias vezes são figuras que só são lembradas por autora ou autor X. Alcides Nogueira não foge dessa regra. E, agora, em Tempo de Amar, ele conseguiu se redimir com Françoise Forton.



O autor a escalou para I Love Paraisópolis, esdrúxula e boboca novela das sete, exibida em 2015, escrita por ele e Mário Teixeira. A personagem da ótima atriz era uma professora de balé que trabalhava na favela de mesmo título do folhetim. Seu nome era Isolda. Entretanto, era uma figuração de luxo. Ela mal aparecia e quando tinha alguma cena não chegava a ter um diálogo que durasse mais de alguns segundos. Um verdadeiro desperdício de talento. Aliás, foi um dos muitos erros da trama na época.

Três anos se passaram e parece que Alcides ficou com um certo peso na consciência. Bom para Françoise. O escritor agora lhe presenteou com um ótimo papel na atual novela das seis da Globo. Emília é uma coadjuvante e não tem uma quantidade considerável de cenas; porém, é um perfil rico e valoriza a capacidade dramática da atriz. Irmã do íntegro médico Reinaldo (Cássio Gabus Mendes), a personagem sempre carregou uma tristeza dentro de si e vive sendo atormentada pela cruel sobrinha Lucinda (Andreia Horta).

A personagem já protagonizou excelentes momentos ao lado do irmão e da grande vilã da novela. Enquanto há uma bonita sensibilidade na relação de Emília e Reinaldo, há um amontoado de mágoas diante das ironias perversas que Lucinda costuma lançar em cima da tia. A atriz costuma emocionar somente pelo seu olhar sofrido, transmitindo bem o quanto que aquela distinta e elegante senhora precisou suportar durante a vida. Françoise tem uma irretocável sintonia com Cássio Gabus Mendes e faz uma bela parceria com Andreia Horta. São basicamente seus únicos colegas de cena - na reta final, todavia, a personagem passou a ser cortejada por Fernão (Jayme Matarazzo), sem imaginar que o rapaz é um golpista.

Recentemente, o público conheceu um pouco o passado de Emília e o autor foi muito feliz em fazer uma ligação com outra novela sua: Força de um Desejo, exibida em 1999. A participação luxuosa de Malu Mader revivendo a icônica Ester Delamare, a Baronesa de Sobral, fez revelar um segredo muito bem guardado pela irmã de Reinaldo: ela era perdidamente apaixonada pelo Barão de Sobral (Reginaldo Faria) e ele acabou se casando com Ester. Claro que tudo tratou de uma licença poética, pois as tramas nem se conectam no tempo (a atual é ambientada nos anos 20 e a anterior no século XIX). Porém, foi uma solução criativa e explicou bem a dor da personagem. Françoise brilhou quando Emília se viu confrontada por Ester, tantos anos depois.

A carreira da intérprete é grandiosa, com direito a mais de 40 trabalhos na televisão. Recentemente, pôde ser vista na reprise de Por Amor (1997), no Canal VIVA, matando as saudades do público de seu melhor momento na TV. A perua Meg Trajano até hoje é lembrada pelos telespectadores da trama de Manoel Carlos e a atriz protagonizou muitas cenas cômicas e dramáticas, tendo sua versatilidade bem explorada. Ela estava no ar também em Tieta (1989) e atualmente, inclusive, pode ser assistida em Bebê a Bordo (1988) e Explode Coração (1995), cujas reexibições se iniciaram há pouco tempo no mesmo VIVA. Tem Françoise para todos os gostos. Perigosas Peruas (1992), Quatro por Quatro (1994), O Clone (2001), Cidadão Brasileiro (2006) e Amor à Vida (2013) foram algumas outras produções que contaram com seu talento.

Françoise Forton é uma atriz que merece reconhecimento e é ótimo vê-la no ar em tantas reprises e trabalhando em uma novela que valoriza seu talento, mesmo aparecendo pouco. Alcides Nogueira fez muito bem em escalá-la para viver a íntegra Emília, se redimindo do péssimo papel que escreveu para ela em I Love Paraisópolis.


Deixe sua opinião


Leia também