Em 2004, SBT contratou Mel Lisboa para A Outra, novela que nunca saiu do papel


Semana passada, recordamos os bastidores de Amigas e Rivais, produção que encerrou o ciclo iniciado em 2001, com Pícara Sonhadora, de adaptações do SBT para textos da mexicana Televisiva. Durante este período, no entanto, o departamento de teledramaturgia enfrentou breves interrupções; a mais comentada delas, sem dúvida, se deu entre o último capítulo de Canavial de Paixões, em março de 2004, e o primeiro de Seus Olhos, em maio do mesmo ano.



Para substituir 'Canavial', o SBT planejava um remake de Os Ricos Também Choram (1979), uma das mais bem-sucedidas novelas da Televisa; a primeira apresentada pelo canal de Silvio Santos, em 1982. Mas a gigante mexicana enfrentava então problemas em relação aos direitos autorais da obra - que acabou reeditada por aqui no ano seguinte, numa adaptação bem distante do original, marcada pelo insucesso.

Definiu-se então a adaptação de La Otra, história original de Liliana Abud, êxito do tradicional horário das 20h da Televisa em 2002. Desde o início da pré-produção, contudo, já se falava na insatisfação de Silvio Santos com o acordo, já renegociado no ano anterior, para cessão de textos, adquiridos em dólar (um complicador em tempos de alta da moeda). O texto, contudo, já estava todo traduzido por Henrique Zambelli. Para as protagonistas, as sósias Carolina e Clarice, a emissora contratou Mel Lisboa, lançada ao estrelato após protagonizar a minissérie Presença de Anita (2001).

Na trama, Carolina mantém um romance com o médico Álvaro; não avançam, porém, para o casamento, em razão das interferências da mãe dela, Bernarda. Eis que ele, ludibriado pela futura sogra, passa a crer que a amada está morta. Após uma passagem de tempo, o rapaz se depara com Clarice. Impressionado com a semelhança física, Álvaro se deixa envolver pela jovem, filha de um alcoólatra e de caráter oposto ao de Carolina.

O SBT chegou a negociar com Cláudio Heinrich para Álvaro; o ator, no entanto, preferiu renovar com a Globo e se manter à frente do Globo Ecologia. Para Bernarda, a atriz Françoise Forton, com passagens recentes por O Clone (2001) e Kubanacan (2003). Fizeram teste para a produção as atrizes Bruna di Túlio, Cláudia Liz, Fernanda Nobre (recém-saída de Malhação), Gabriela Alves, Karine Carvalho; os atores Carlos Machado, Celso Bernini e Rodrigo Phavanello; a ex-Chiquititas Aretha Oliveira; os ex-Casa dos Artistas 2 Ellen Rocche e Ricardo Macchi (então namorados); o ex-BBB2 Fernando Fernandes; a ex-apresentadora do TV Fama Janaína Barbosa; e a cantora Patrícia Coelho - que, dois anos antes, recusou Zulema, a antagonista de Marisol.

Silvio Santos, contudo, determinou a suspensão da trama. Os gastos pareciam exacerbados demais para uma emissora em contenção de despesas - inclui-se aí a confecção de um orquidário em uma fazenda. A decisão surpreendeu toda a equipe; Mel Lisboa, por exemplo, não reformulou o contrato e deixou o SBT semanas depois, para se integrar ao time de Como Uma Onda, folhetim global das 18h.

Optou-se então pela exibição da versão mexicana, dublada. A Record TV celebrou: a emissora, prestes a estrear Metamorphoses, coprodução com a Casablanca, acreditava ser mais fácil competir com uma concorrente importada do que com uma "brazuca". Não deu. Em dois meses, o SBT estreou Seus Olhos - "mais barata" - dividindo horário com A Outra, no ar até agosto. Metamorphoses? Fiascou.


Deixe sua opinião


Leia também