Em 1972, Selva de Pedra foi vista em 100% das TVs, mas recebeu críticas


Nos dias de hoje, se uma novela passa da casa dos 30 pontos, o feito chega a ser comemorado, o que é normal em tempos de concorrência com TV paga e internet. Imagine uma trama que foi vista em 100% dos televisores ligados. Isso mesmo. No dia 4 de outubro de 1972, o capítulo 152 da primeira versão de Selva de Pedra, um dos maiores sucessos da história da teledramaturgia brasileira, alcançou a invejável marca: todos os aparelhos do Rio de Janeiro assistiam à TV Globo. Mesmo assim, a trama recebeu críticas pela inverossimilhança.



No folhetim de Janete Clair - que chegou ao fim, em São Paulo, há exatos 45 anos -, após uma série de ações capitaneadas pelos vilões Fernanda (Dina Sfat) e Miro (Carlos Vereza), o protagonista Cristiano Vilhena (Francisco Cuoco) desmascarou, na polícia, seu grande amor (e mocinha da história), Simone Marques (Regina Duarte), que vivia como a artista plástica Rosana desde que sofreu um acidente, simulando a própria morte. O Brasil parou para assistir ao capítulo.

Naquela época, a medição de audiência pelo Ibope era da seguinte forma: o pesquisador batia de porta em porta e perguntava o que estava sendo assistido. No Rio de Janeiro, de cada cem casas, 77 casas viram o capítulo 152 de Selva de Pedra; as outras 23 estavam com o televisor desligado. Ou seja, a novela foi sintonizada por 100% dos televisores ligados. Todas as outras emissoras deram traço absoluto.

Críticas

Mas não pense que uma novela que atinge 100% fica imune a críticas. Muito pelo contrário. A lendária Helena Silveira, crítica da Folha de S. Paulo, detonou a volta de Simone na pele de Rosana na edição de 8 de outubro de 1972 do jornal. "É absolutamente infantil o retorno de Simone com a identidade de Rosana. A plateia enorme que vinha assistindo à novela parece aturdida com a reviravolta do raconto, com a mudança do estilo. E o telefone de casa não cessa de tocar:

- Helena, quando Cristiano foi acusado de crime e encontrou a morta, não se lembrou de pedir à polícia que verificasse as impressões digitais de Rosana e conferisse com as de Simone?

- Será que Simone nunca foi a um dentista? Seria tão fácil comparar a arcada dentária da morta com a da viva!

- Ninguém, mas ninguém mesmo, teve um treco ao ver a ressurreição de uma morta e enterrada?

Claro que Janete Clair vai dar um jeitinho. Claro que a verdade virá à tona. Mas as cenas da volta de Simone, nem por isso deixam de ser inverossímeis. E isto é melancólico, pois que a novela tinha uma grande aceitação pelo público e este se sente bastante fraudado", escreveu a crítica.

Independentemente da crítica, Selva de Pedra foi um sucesso e ficará marcara para sempre na galeria das grandes produções da televisão brasileira. Foi produzido um remake da novela em 1986, com Tony Ramos e Fernanda Torres nos papéis principais, mas sem o mesmo sucesso da versão original.

Veja abaixo o vídeo com a cena em que o personagem de Francisco Cuoco desmascara o de Regina Duarte:


Deixe sua opinião


Leia também