10 anos do último capítulo de Amigas e Rivais; saiba tudo sobre os bastidores da trama do SBT


No último dia 18, o capítulo final de Amigas e Rivais completou exatos 10 anos de sua exibição no SBT. Baseada num texto mexicano, a trama encerrou melancolicamente o ciclo de adaptações da emissora para originais de sua parceira Televisa - iniciado em 2001, com Pícara Sonhadora. O TV História resgata agora as curiosidades da produção; confira!



- Responsável pela adaptação, Letícia Dornelles - colaboradora em Por Amor (1997) e Andando nas Nuvens (1999), ambas da Globo - buscou "abrasileirar" ao máximo o enredo, repaginando personagens (e nomes), atualizando entrechos e inserindo no roteiro referências ao dia-a-dia do país, como uma menção ao caos aéreo e ao desastre aéreo envolvendo um avião da TAM, no aeroporto de Congonhas.

- Além de escrever, Letícia respondeu por boa parte da divulgação do folhetim. O SBT, em crise de audiência e com o segundo lugar surrupiado pela Record TV, havia fechado sua assessoria de imprensa nesta época, devido ao melindre de Silvio Santos com os veículos de comunicação. Dornelles então se encarregou de propalar os feitos da produção, como destaques do capítulo e números de audiência. A emissora, por sua vez, se limitava a divulgar o resumo da semana.

- O texto da autora foi elogiado por executivos do canal mexicano. "A Televisa está muito satisfeita e já disse que minha história é melhor que a original. Eles até me convidaram para trabalhar lá, mas, por enquanto, prefiro ficar no SBT", declarou Dornelles, em entrevista ao Jornal do Brasil (12 de agosto de 2007).

- Talita Castro, destaque como a vilã Rosana Delaor, não foi a primeira opção para a personagem. Adriane Galisteu e Luciana Vendramini foram convidadas para dar vida ao tipo maléfico. Outra baixa do elenco inicialmente escalado: Sílvia Salgado, recém-saída de Páginas da Vida (2006), trama global das 20h.

- Participações especiais marcaram os capítulos de Amigas e Rivais. Hebe Camargo surgiu logo na estreia, como ela mesma, recebendo a aspirante a cantora Nicole (Cacau Mello) em seu programa. Tudo não passava de um sonho da moça!

- Já Beto Marden, então apresentador do reality musical Ídolos, exerceu sua porção ator com o jovem Rodrigo, presente no núcleo abastado da trama, o das protagonistas Helena (Thaís Pacholeck) e Olívia (Karla Tenório).

- Aliás, tema de abertura, 'Na Guerra e na Paz', era cantado pelas três finalistas da temporada 2007 do Ídolos: Lenny Bellard, Shirley Carvalho e Thaeme Marioto - que hoje forma dupla sertaneja com Thiago.

- Em dado momento, Olívia descobre ser portadora do vírus HIV. Além da campanha em prol dos soropositivos, Amigas e Rivais também abordou a adoção de crianças já crescidas e o alcoolismo, por meio de Pedro (Umberto Magnani), pai de outra mocinha, Laura (Lisandra Parede).

- A novela também "espelhou a realidade" do noticiário de celebridades: tal e qual o costureiro Ronaldo Ésper, atualmente colunista do Hoje em Dia (Record TV), o cabeleireiro Gardênia (Josmar Martins) fora acusado de furtar vasos em um cemitério.

- Amigas e Rivais teve sua estreia adiada por conta dos Jogos Pan-Americanos, realizados no Rio de Janeiro de 13 a 29 de julho. O folhetim entrou no ar em 6 de agosto, antecedendo os capítulos da antecessora, Maria Esperança (2007).

- Os planos do departamento de teledramaturgia do SBT, então sob o comando de David Grimberg, eram ousados: além de apostar na produção para recuperar o público que migrava para a Record TV, o núcleo previa a abertura de mais um horário de novelas, contando, talvez, com um texto de Íris Abravanel, mulher de Silvio Santos - que estreou à frente de um folhetim no ano seguinte, com Revelação.

- Cerca de R$ 107 mil foram investidos em cada capítulo de Amigas e Rivais.

- A expectativa de chegar aos dois dígitos, no entanto, caiu por terra logo nas primeiras semanas. A audiência rateou ao longo da exibição, chegando ao último capítulo com a pior média-geral das novelas do SBT neste ciclo: apenas 4 pontos.

- A grade voadora do canal contribuiu para o insucesso: 'Amigas' entrou no ar às 19h30, passou para 19h45, depois 20h15, 20h35, 21h e, por fim, 21h15. Também foi exibida, durante um período, aos sábados, dia fatídico para a média semanal.

- Silvio Santos optou por "ceifar" a trama: cerca de 50 capítulos, já gravados, foram "jogados no lixo". O término, previsto para fevereiro, se deu no mês anterior.

- Amigas e Rivais foi substituída pela argentina Lalola (2007), que registrou um desempenho tão pífio quanto a novela brazuca.

- Em abril de 2011, o SBT resgatou a produção em uma reprise vespertina (14h15), substituindo Pérola Negra (1999). Curiosamente, o repeteco atingiu mais audiência do que a exibição original. Optou-se então pela veiculação dos 50 capítulos descartados anteriormente. A reapresentação chegou ao fim em janeiro de 2012, sendo substituída por Pícara Sonhadora.


Deixe sua opinião


Leia também