Com encontros emocionantes, Vitória Strada e veteranos brilham em Tempo de Amar




Após um início arrastado e repleto de sofrimento excessivo, Tempo de Amar apresenta uma sensível melhora. O enredo da novela de Alcides Nogueira e Bia Corrêa do Lago ainda tem limitações, como a lentidão dos acontecimentos e o desenvolvimento fraco de algumas situações, porém, o folhetim também tem boas qualidades, como seu elenco competente, lindas imagens e diálogos primorosos, quase sempre privilegiando a norma culta da língua portuguesa.

Duas sequências em especial foram dignas dos melhores elogios: o momento em que a mocinha Maria Vitória (Vitória Strada) descobre que é filha de Celeste Hermínia (Marisa Orth) e o reencontro dela com seu pai José Augusto (Tony Ramos).

Como se sabe, a portuguesa passou por inúmeros sofrimentos após Augusto descobrir que estava grávida de Inácio (Bruno Cabrerizo). Ao se ver no Brasil, tentou de todas as formas procurar o amado, que havia sido encontrado por Lucinda (Andreia Horta). A vilã logo tratou de manipular o rapaz, que se deixou seduzir por ela com uma impressionante facilidade. Em meio a isso, Vitória despertou a paixão do brasileiro Vicente (Bruno Ferrari) e os dois engataram um romance que vem despertando uma forte torcida para que fiquem juntos ao final.

A mocinha ainda descobriu que é filha de Celeste, que se envolveu com o fazendeiro lusitano e foi forçada a abandoná-la após uma tentativa frustrada de fuga, ao descobrir o caso dele com Delfina (Letícia Sabatella). A revelação deu impulso à saga da protagonista e rendeu uma belíssima e tocante sequência, exibida no mês passado, que valorizou o talento de Vitória Strada e Marisa Orth. As duas atrizes emocionaram e Marisa reafirmou seu talento dramático e sua versatilidade, mostrando que é muito mais do que a clássica Magda de Sai de Baixo.

Agora, foi a vez de Maria Vitória reencontrar o pai, que veio de Portugal disposto a retomar a relação com a herdeira. Em mais uma sequência de pura beleza, Augusto ainda aproveitou para revelar à filha que Inácio estava vivo e se casou com outra pessoa - no caso, Lucinda - e ainda conheceu Vicente, com o qual simpatizou logo de cara.

E novamente Vitória Strada mostrou sua maturidade, desta vez ao lado de Tony Ramos. A novata impressiona por sua segurança em cada sequência, revelando-se uma aposta acertada. E Tony, após interpretar o misterioso Abel Zebu na fracassada série Vade Retro, vive mais um grande momento em sua carreira, na pele do conservador, mas amoroso, pai da mocinha. Foi difícil não se emocionar com o reencontro de pai e filha, tão bem vivenciado pelo encontro de duas gerações de talento.

Curiosamente, Vitória vive uma situação totalmente oposta à de Bruno Cabrerizo, seu par inicial. Enquanto este se mostra inexpressivo e não convence na pele do passivo e manipulável Inácio, a gaúcha, com menos experiência, brilha e emociona em todos os momentos. Merece elogios também a química de Vitória Strada com Bruno Ferrari, que viu seu personagem Vicente crescer com muito mérito ao lado da mocinha e, assim, assumir o posto de principal figura masculina da trama.

E aqui se deve registrar também o ótimo desempenho de outros nomes do elenco, alguns inclusive vivendo também papeis diferentes do habitual, como Nelson Freitas (Bernardo), Cássio Gabus Mendes (Reinaldo) e Jackson Antunes (Geraldo).

A versatilidade também se faz presente nas interpretações de Lucy Alves (que, após a enérgica e explosiva Luzia de Velho Chico, brilha como a contida Eunice, que tem um romance com Reinaldo) e Andreia Horta (ótima na pele da vilã Lucinda, embora a personagem praticamente viva em função de Inácio). E Letícia Sabatella, que decepcionou como Yvone em Caminho das Índias, agora está ótima como Delfina.

Tempo de Amar está em sua metade e ainda há importantes desdobramentos para acontecer, como o reencontro de Vitória com Inácio. A trama de Alcides Nogueira e Bia Corrêa do Lago falha em alguns aspectos do seu enredo, entretanto, privilegia grande parte de seu elenco, que apresenta ótimos desempenhos e rende até cenas emocionantes como as citadas. E fica a torcida para que venham outras sequências, para que o talento de Vitória Strada continue a se fazer presente ao lado de vários grandes nomes.


Deixe sua opinião


Leia também