30 de dezembro na história da TV: em 1999, o último Jô Soares Onze e Meia



Confira os destaques do dia 30 de dezembro na história da televisão brasileira:

No dia 30 de dezembro de 1965, terminava o programa Show da Noite (Globo).

Transmitido ao vivo, de segunda-feira a sexta-feira, às 22h30, o Show da Noite contava com entrevistas, musicais e brincadeiras com o auditório. A atração, apresentada por Gláucio Gil, foi uma das primeiras a exibir os bastidores de uma produção para a TV: tomadas mostravam o estúdio todo, do palco às câmeras.



No dia 30 de dezembro de 1966, terminava a novela Ciúme (Tupi).

Folhetim de Talma de Oliveira, no ar às 21h30, que partia da história de Augusta (Cacilda Becker), uma mulher dominada pelo ciúme doentio que sente do filho, Eugênio (Sebastião Campos), afastando-o de Maria Luiza (Dina Sfat), noiva do rapaz. A única novela de Cacilda Becker, que, ao final, declarou preferir o teatro.



No dia 30 de dezembro de 1967, terminava o programa Tevefone (Globo).

Comandado por três famosos DJs da época - Jonas Garret, Luiz de Carvalho e Mário Luiz Barbato -, o Tevefone era veiculado ao vivo, nas tardes de sábado, e contava com a participação do público pelo telefone; daí, o nome. Além de tocar as músicas sugeridas pelo público, os DJs recebiam calouros e cantores consagrados.



No dia 30 de dezembro de 1972, terminava o programa Hello Crazy People (Globo).

Programa de sábado, 13h, dedicado às paradas musicais do DJ Big Boy (Newton Duarte), então âncora de um programa na Rádio Mundial. O título era uma referência à forma como o apresentador cumprimentava o telespectador. Foi um dos pioneiros da TV a cores, num tempo em que a grade ainda era quase toda em preto-e-branco.



No dia 30 de dezembro de 1972, terminava o programa Show da Girafa (Globo).

Programa de variedades com Murilo Néri e Sandra Bréa, no ar aos sábados, 17h. Dirigia-se a um público específico: o que adquiria o Plano da Girafa, sistema de cupons que dava direito a participar de sorteios de prêmios. Na estreia, as presenças de Chico Anysio, Elis Regina, Marília Pêra, Regina Duarte e Roberto Carlos.



No dia 30 de dezembro de 1979, terminava a novela Cara a Cara (Band).

A Band tornava a investir em teledramaturgia, incitada pela crise que culminou com o fechamento da Tupi no ano seguinte. Astros da emissora pioneira e da Globo foram convocados para a produção, escrita por Vicente Sesso, centrada no conflito de Ingrid (Fernanda Montenegro), uma milionária em busca de seu filho desaparecido.



No dia 30 de dezembro de 1984, terminava o programa Concertos Para a Juventude (Globo).

Com o objetivo de romper as barreiras entre a música erudita e o grande público, a atração promovia a exibição de pequenos concertos, ao vivo, nas manhãs de domingo, enaltecendo aspectos regionais e estimulando a participação de pequenas bandas de música de todo o país. Também concursos, como o de coreografia.



No dia 30 de dezembro de 1984, terminava o programa Guerra dos Sexos (Globo).

Partindo do entrecho central da novela homônima de Silvio de Abreu, Guerra dos Sexos (1983) - aproveitando-se, inclusive, de seu logotipo -, este dominical ancorado por Osmar Santos trazia uma disputa entre homens e mulheres, num jogo de perguntas e respostas sobre conhecimentos gerais, incluindo novelas.



No dia 30 de dezembro de 1988, terminava o humorístico Praça Brasil (Band).

Em 1987, pouco tempo após reeditar o formato consagrado por seu pai, Manoel, na Band, Carlos Alberto de Nóbrega levou a 'Praça' para o SBT. A emissora do Morumbi, contudo, insistiu no formato, que passou a ser apresentado por Moacyr Franco e que contava com nomes como Ronald Golias e Orival Pessini.



No dia 30 de dezembro de 1994, terminava a novela de Tropicaliente (Globo).

Trama de Walther Negrão para às 18h, que partia do ódio do filho Vitor (Selton Mello) pela mãe Letícia (Sílvia Pfeifer), jovem viúva que volta ao Ceará para reviver uma paixão do passado com o pescador Ramiro (Selton Mello). Destaque para Regina Dourado, como Serena, esposa de Ramiro que, por fim, o reconquista.



No dia 30 de dezembro de 1999, terminava o programa Jô Soares Onze e Meia (SBT).

Após 6.927 entrevistas e 2.309 edições, Jô Soares deixava o SBT para regressar à Globo, onde não havia conseguido emplacar o formato talk-show na década de 1980. Consagrado como entrevistador, Jô se despediu do 'Onze e Meia' batendo papo com Carlos Alberto de Nóbrega, Gugu Liberato e Hebe Camargo, seus colegas de casa.



No dia 30 de dezembro de 2001, terminava o programa infantil Bambuluá (Globo).

Faixa infantil, de cerca de três horas e meia de duração, que reunia desenhos animados como Turma da Mônica, séries como Garrafinha e Sítio do Picapau Amarelo e a novelinha Bambuluá, estrelada por Angélica. A trama era ambientada numa cidadezinha que contava com a emissora dominada por crianças, TV Globinho.



No dia 30 de dezembro de 2001, terminava o programa esportivo Super Técnico (Band).

Dominical apresentado por Milton Neves, que trazia técnicos de futebol para o debate de questões referentes às funções destes. Na estreia, Wanderley Luxemburgo e Zagallo discutiram até mesmo a necessidade do uso de terno, comum aos profissionais da área naquele momento.



No dia 30 de dezembro de 2008, terminava o programa É o Amor (Band).

Apresentada por Patrícia Maldonado, a atração se propunha a resolver problemas de relacionamento de casais, pais e filhos, irmãos e amigos. O projeto se dividia entre o palco e matérias externas. É o Amor era baseado em All You Need is Love, formato da produtora Endemol, e veiculada nas noites de terça-feira.



No dia 30 de dezembro de 2012, terminava o programa Tudo é Possível (Record TV).

Primeiro programa "adulto" de Eliana, o Tudo é Possível passou para as mãos de Ana Hickmann quando a primeira apresentadora voltou para o SBT. O destaque da atração, neste período, ficou por conta dos quadros de humor, com nomes como Shaolin e Pedro Manso, e realities, como o que buscava novas modelos.



No dia 30 de dezembro de 2014, terminava o programa Sabe ou Não Sabe (Band).

Game-show ancorado por André Vasco, que saía pelas ruas de grandes cidades em busca de interessados em responder questões de conhecimentos gerais em troca de bonificações, podendo solicitar a ajuda de populares ou de amigos, por telefone. O projeto era exibido de segunda-feira a sexta-feira.




Leia também

Novelas

Por onde anda Cecília Dassi, a Sandrinha de Por Amor

A garotinha Sandrinha conquistou o Brasil na primeira exibição de Por Amor, exibida entre 1997 e 1998 pela Rede Globo. Cecília Dassi, tinha apenas sete anos quando interpretou a personagem. Depois disso, ainda atuou em diversos papeis na Rede Globo, mas abandou a carreira na televisão