Relembre os principais programas de Réveillon da TV Brasileira


Neste domingo, dia 31, daremos adeus a 2017. E, como sempre, a televisão se despede do ano de uma maneira nada criativa: um show com músicos ali, um filme aqui, a queima de fogos lá ou a programação normal, sem mudança alguma na grade.



Entretanto, o estilo de transmissão do Réveillon passou por inúmeras mudanças e, hoje, vamos relembrar alguns momentos da virada do ano na televisão brasileira.

São Silvestre noturna

Desde 1925, é realizada em São Paulo a Corrida de São Silvestre, sempre no último dia do ano. A prova, ideia do jornalista Cásper Líbero, era realizada à noite e acabava perto da meia-noite. Após a virada do ano, Gazeta e Globo mostravam, em vídeo tape, alguns momentos da prova, anunciando o vencedor minutos depois. A São Silvestre ao vivo era veiculada somente pelo rádio.

A corrida foi exibida ao vivo pela primeira vez na televisão em 1982, após a Globo, juntamente com a TV Gazeta, criar um moderno sistema de transmissão, contando com motos, carro, repórteres e mais de 20 câmeras espalhadas pelos mais de 12 km de trajeto. Osmar de Oliveira foi o primeiro locutor a narrar a prova ao vivo. Até 1988, a São Silvestre foi a última atração da Globo e da Gazeta, pois, em 1989, a prova foi transferida para o período da tarde.



Réveillon da TVS no Vale do Anhangabaú

Em 1982, o SBT vinha se firmando na audiência e criou um especial de ano novo sob o comando de um jovem apresentador que começava a despontar: Gugu Liberato. Na virada de 1982 para 1983, a TVS fez um Viva a Noite Especial, montando um palco no Vale do Anhangabaú. O centro de São Paulo ficou lotado, a espera dos artistas, cantores e bandas que se apresentaram ali, ao vivo para o país inteiro.

A principal atração era um equilibrista que atravessaria o alto de uma avenida em um cabo, chegando apenas no primeiro minuto de 1983. O locutor, preocupado, pedia para que os populares não soltassem os rojões mirando o pobre acrobata. Mas tudo ocorreu bem, o equilibrista chegou e o ano também.



Ano Novo confuso na Bandeirantes

No Réveillon de 1988, a Bandeirantes lançava o audacioso projeto Verão Vivo, uma programação especial com vários eventos transmitidos direto do Guarujá.
O projeto foi veiculado dentro do programa Réveillon 88, apresentado por Elia Junior, que tinha como objetivo mostrar a festa da virada na praia da Enseada, no Guarujá, e do Caiçara Clube de Santos.

A transmissão teve inúmeras falhas, beirando o amadorismo: o áudio falhava ou vazava, câmeras perdidos, imagens escuras, entre outros problemas. Curioso mesmo foi a participação dos repórteres que integravam a equipe: Sandra Annemberg e Emilio Surita. O futuro seria bem generoso com eles.



O último comercial do ano

Nos anos 1980, a Globo trouxe uma novidade ao mercado publicitário: o último comercial do ano. Bem perto da meia-noite, era exibida uma única propaganda, antecedendo a contagem regressiva: Rodhia, Cigarros Hollywood, Leite Moça, Caixa Econômica Federal, entre outras empresas, exibiram os derradeiros anúncios do ano.

Em 1990, além do último comercial, a Globo criou a primeira propaganda do ano. A empresa que comprava o último deveria adquirir também o primeiro no pacote. Essa prática se estendeu para algumas emissoras, como SBT e Record. E essa "tradição" se manteve até 2012.



Simplicidade na virada

A contagem regressiva na Globo era, de certa forma, curiosa: era exibido um clipe feito especialmente para aquela ocasião. Quem recepcionou o ano de 1985 foi o Araken, O Show Man. Na virada para 1988, uma família mostrava várias simpatias para começar bem o novo ano. A turma do TV Pirata foi quem conduziu a contagem para 1989 e o famoso clipe "A Globo 90 é nota 100" estreava nos primeiros segundos de 1990, comemorando os 25 anos da emissora.

Sempre após esses clipes, era exibida ao vivo a queima de fogos em Copacabana. Apenas na passagem para 1991 que não houve essa cobertura ao vivo: o Plano Collor trouxe a crise e o corte de gastos. O "top de 5 segundos" que anunciou a chegada de 1991.

1987 - 1988



1989 - 1990



De Réveillon do Faustão ao Show da Virada

Em 1991, a Globo convocou Fausto Silva para fazer a contagem regressiva: entrava no ar o Réveillon do Faustão, que foi ao ar de 1991 a 1996. O programa seguia os moldes do Domingão do Faustão, porém totalmente gravado e tendo como convidados artistas da Globo, cantores e personalidades que foram destaque no ano.

Sensacionalismo também fez parte do especial: em 1992, garotas seminuas tomavam banho de chuveiro e desfilavam pelo palco, intercalados com exibição de vídeocassetadas.

Com o fim do programa, em 1996, a virada do ano na Globo em 1997 foi a mais confusa de todas: Mauricio Kubrusly, no Rio, e Marcio Canuto, em Porto Seguro, fizeram a cobertura e lançaram oficialmente a campanha Brasil 500. Gritos, áudio vazando, imagens perdidas: uma cobertura que não lembrava em nada a Globo.

Em 1998, o Show da Virada estreava sob o comando de Renata Ceribelli e Zeca Camargo. Foi apenas em 2000 que o formato de show estreou, ficando no ar até hoje.

Primeiro Réveillon do Faustão



Primeiro Show da Virada



O ano novo no mundo todo e Galvão "narrando" a chegada de 2000

A chegada de 2000 foi recebida de uma forma diferente: televisões do mundo todo se uniram para exibir o fim de 1999 em vários pontos do planeta.

Globo, Band e Record fizeram parte desse evento, também transmitindo para o mundo a virada do ano no Brasil. Tanto a Record quanto a Band, dedicaram o dia 31 de dezembro para mostrar shows e eventos ao redor do mundo.

Na hora da virada, a Record exibia a queima de fogos em Salvador e o nascimento de uma criança nas primeiras horas de 2000. A Globo continuava com sua programação normal, exibindo flashes de vez em quando. A novidade foi a apresentação de Galvão Bueno no Show da Virada, em um estúdio montado na praia de Copacabana, onde "narrou" a chegada da nova década.

Show da Virada - Globo



Virada do ano na Record



A você que acompanhou esta coluna ao longo de 2017, o meu muito obrigado e os meus votos para que 2018 seja um ano de felicidades e tranquilidade para todos nós. Feliz ano novo!

Colaboração - José Eustáquio Jr


Deixe sua opinião


Leia também