28 de dezembro na história da TV: em 2015, a última edição do CQC - Custe o Que Custar


Confira os destaques do dia 28 de dezembro na história da televisão brasileira:

No dia 28 de dezembro de 1965, terminava a novela O Caminho das Estrelas (Excelsior).

O cantor Agnaldo Rayol estava à frente desta trama, como o boêmio Carlos Dória, também cantor, casado com a milionária Silvia (Arlete Montenegro). Problemas com familiares acabam afetando a união e levam Carlos a perder a voz; tempos depois, na Europa com a esposa e o filho, ele se recupera. Ainda no elenco Glauce Graieb (estreando na TV), Maria Estela, Paulo Figueiredo e Procópio Ferreira.



No dia 28 de dezembro de 1971, terminava a primeira versão do humorístico Balança, Mas Não Cai (Globo).

Um dos maiores sucessos na Rádio Nacional na década de 1950, Balança, Mas Não Cai chegou à Globo em 1968. Foi do programa - com roteiros de Max Nunes e Haroldo Barbosa; direção de Lúcio Mauro - que surgiram personagens como Ofélia (Sônia Mamede) e Primo Pobre x Primo Rico (Brandão Filho e Paulo Gracindo). O 'Balança' migrou para a Tupi em 1972; regressou, contudo, dez anos depois.



No dia 28 de dezembro de 1973, terminava a novela O Conde Zebra (Tupi).

No centro deste folhetim de Sérgio Jockyman estava o verdureiro Vitório Testada (Otelo Zeloni), que confia em um sonho e torna-se o maior vencedor da loteria de todos os tempos. Compra então um título de nobreza, enquanto lida com o assédio de familiares gananciosos, contando apenas com o amor de sua namorada, Sincerina (Ruthinéia de Moraes). A novela foi interrompida em razão do estado de saúde de Zeloni, acometido por um tumor cerebral que o levou em 29 de dezembro de 1973.



No dia 28 de dezembro de 1986, a primeira edição do Criança Esperança (Globo).

Em parceria com a Unicef, a Globo lançou a campanha Criança Esperança em meio às comemorações dos 20 anos de Os Trapalhões. O intuito era arrecadar doações dos telespectadores para várias instituições. Neste primeiro ano, a mobilização durou o dia todo, reunindo nomes como Abelardo Barbosa (Chacrinha), Chico Anysio, Dercy Gonçalves, Xuxa Meneghel e o quase todo o departamento de teledramaturgia.



No dia 28 de dezembro de 1988, terminava o programa Safenados e Safadinhos (Band).

Em razão do êxito do Perdidos na Noite (1986), Fausto Silva ganhou uma segunda atração na Band. O Safenados e Safadinhos consistia num show de variedades, direcionado para todos os públicos, que trazia desde campeonatos de crochê até duelos de dubladores. Diferente do 'Perdidos', 'Safenados' trazia um Faustão contido, incapaz de pronunciar "palavrões". A atração foi extinta com a transferência dele para a Globo, acertada em julho de 1988, onde passou a ocupar as tardes de domingo.



No dia 28 de dezembro de 1990, terminava o programa Globo de Ouro (Globo).

Adriana Esteves e Jimmy Raw apresentaram o último episódio do musical lançado na década de 1970, que consistia, basicamente, na apresentação de dez canções, toda semana, as mais tocadas do período. Passaram pelo comando do Globo de Ouro nomes como Tony Ramos, Christiane Torloni, Dennis Carvalho, Nádia Lippi, Myrian Rios, Lauro Corona, Isabela Garcia, Cláudia Raia, Cláudia Abreu e César Filho.



No dia 28 de dezembro de 1994, estreava o programa Brasil Legal (Globo).

Programa mensal, exibido dentro da faixa Terça Nobre, que levava Regina Casé a longínquos lugarejos, na busca por tipos interessantes, habitantes das mais diferentes regiões do país. Embora voltado para o entretenimento, o Brasil Legal possuía um viés jornalístico. Em 1995, a apresentadora encontrou o menino Tom do Cajueiro, guia turístico mirim, num dos programas mais marcantes da TV na década de 1990.



No dia 28 de dezembro de 2001, terminava a segunda versão do humorístico Escolinha do Professor Raimundo (Globo).

Sucesso na rádio e na televisão - a princípio como quadro do Chico Anysio Show (1982) e depois como programa solo nos fins de tarde - a 'Escolinha' do mestre eternizado por Chico Anysio voltava a ocupar lugar cativo na grade vespertina, antecedendo Malhação. Velhos conhecidos do público, como Rogério Cardoso (Rolando Lero), se misturaram a novos comediantes, caso de Heloísa Perissé (Tati).



No dia 28 de dezembro de 2002, terminava o programa infantil Disney CRUJ (SBT).

A princípio intitulado Disney Club - uma parceria do SBT e da Walt Disney Company - o 'CRUJ' chegou em sua última fase como semanal, exibido nos sábados de manhã (anteriormente, diário e veiculado nos fins de tarde). Cao Hamburger, hoje autor de Malhação - Viva a Diferença, foi responsável pela formatação do programa: a ideia básica consistia em um grupo de crianças que monta uma emissora de TV pirata.



No dia 28 de dezembro de 2012, terminava a minissérie Xingu (Globo).

Versão para a TV, em quatro capítulos, do filme homônimo de Cao Hamburger, coproduzido pela Globo com a O2 Filmes. Em cena, a saga verídica dos irmãos Orlando (Felipe Camargo), Cláudio (João Miguel) e Leonardo Villas-Bôas (Caio Blat), engajados na luta pelos direitos dos índios brasileiros e pela preservação da cultura indígena. Também participaram Maria Flor, Fábio Lago e Augusto Madeira.



No dia 28 de dezembro de 2015, terminava o programa CQC - Custe o Que Custar (Band).

Três apresentadores e um time de repórteres destemidos resumiam o noticiário político, artístico e esportivo da semana, no Brasil e no mundo, neste bem-sucedido programa das noites de segunda-feira na Band. Pelo CQC, passaram nomes como Marcelo Tas, o âncora - substituído na última temporada por Dan Stulbach -, Dani Calabresa, Danilo Gentili, Felipe Andreoli, Marco Luque, Maurício Meirelles, Mônica Iozzi, Oscar Filho, Rafael Cortez e Rafinha Bastos.



Leia também