Maria Pia e Malagueta formam o melhor casal de Pega Pega


Difícil ter torcido ou se interessado por algum casal de Pega Pega. Claudia Souto não foi feliz na construção dos casais de sua novela e os dois principais - Julio (Thiago Martins) e Antônia (Vanessa Giácomo), e Eric (Mateus Solano) e Luiza (Camila Queiroz) - são insossos e irritantes. Inicialmente, a autora ao menos tinha acertado com os ótimos Agnaldo (João Baldasserini) e Sandra Helena (Nanda Costa). Porém, ao longo dos meses, o par perdeu relevância e somente ela teve um bom espaço no enredo. A única relação que despertou interesse foi mesmo a de Maria Pia (Mariana Santos) e Malagueta (Marcelo Serrado).



Os dois têm desvios de caráter, mas não são vilões. São imperfeitos. E sofrem com baixa autoestima. Ela sempre foi uma mulher mais gordinha e depositava suas frustrações na comida, principalmente quando Erick a rejeitava, após inúmeras investidas sem sucesso. Ele, por sua vez, sempre sofreu com a rejeição do pai e um dos objetivos do ambicioso roubo de 40 milhões de dólares do Carioca Palace foi justamente provar para Timóteo (Cacá Amaral) que podia ser um criminoso tão habilidoso quanto ele. Embora transbordem arrogância diante dos demais, não passam de dois infelizes.

São perfis bem construídos pela autora em meio a tantos outros repletos de dramas rasos e gratuitos. Após flagrar Malagueta roubando o hotel, Maria Pia o fotografou e usou as imagens para chantageá-lo, exigindo que a ajudasse a conquistar Eric. Aos poucos, ambos foram se aproximando e ele acabou se apaixonando. Ela, mais resistente, demorou em descobrir que também sentia algo pelo cúmplice.

Agora, na reta final da história, esse sentimento está cada vez mais forte e a inimiga de Luiza chegou a sentir ciúmes de Malagueta com Sabine (Irene Ravache). Os dois, inclusive, acabaram vítimas da armação de Eric, que criou uma emboscada para desmascarar a parceria da dupla. O autor do crime ainda tentou salvar a sua cúmplice.

Mariana Santos e Marcelo Serrado sempre estiveram muito bem na trama e a química entre eles é evidente. O par funciona, assim como as cenas dos personagens juntos. É a primeira novela da atriz, que ficou anos no Zorra Total interpretando tipos caricatos (com competência, vale ressaltar). E sua estreia se mostrou muito boa, tendo tudo para se firmar na teledramaturgia da emissora, ganhando novos desafios daqui para frente. Já Marcelo é bem mais experiente e vem de uma atuação elogiada em Velho Chico. A parceria rendeu bons momentos na novela das sete.

É pena que a autora não tenha valorizado isso, preferindo deixar Maria Pia dependente das ações de Eric, deixando o relacionamento com Malagueta de lado. Somente nessas últimas semanas que a personagem ganhou o destaque que sempre mereceu. Afinal, a filha de Ligia (Ângela Vieira) perdeu a importância ao longo do enredo e até mesmo quando voltou repaginada não conseguiu crescer na história. O segredo envolvendo sua barriga de aluguel para gerar Bebeth (Valentina Herszage) poderia ter sido exposto bem antes para movimentar o folhetim, que enrolou o telespectador o quanto pôde com mistérios que cansaram rapidamente. Já o personagem de Serrado, ao menos, teve a importância merecida, ainda que a demora em revelá-lo para os demais personagens como o quarto ladrão do hotel tenha estendido além da conta.

Maria Pia e Malagueta formam o melhor casal de Pega Pega e os perfis despertam atenção pelos problemas emocionais que carregam, implicando em dilemas bem construídos em meio a tantas situações pouco atrativas da trama das sete. Mariana e Marcelo estão muito bem e esse destaque na reta final, ainda que tardio, é merecido.

SÉRGIO SANTOS é apaixonado por televisão e está sempre de olho nos detalhes, como pode ser visto em seu blog. Contatos podem ser feitos pelo Twitter ou pelo Facebook. Ocupa este espaço às terças e quintas


Deixe sua opinião


Leia também