20 de novembro na história da TV: em 2006, a estreia de Pé na Jaca



Confira os destaques do dia 20 de novembro na história da televisão brasileira:

No dia 20 de novembro de 1984, terminava a minissérie Viver a Vida (Manchete).

O romance Uma Tragédia Americana, de Theodore Dreiser - que já havia inspirado o filme Um Lugar ao Sol (1951) e a novela Selva de Pedra (1972) - serviu de ponto de partida para o autor Manoel Carlos, em seu primeiro trabalho após se desligar da Globo. Viver a Vida narrava a trajetória de Marcelo (Paulo Castelli), interiorano que, diante da chance de se unir à ricaça Maria Eduarda (Cláudia Magno), abandona a namorada suburbana, Marli (Louise Cardoso). Em 2009, já de volta à emissora-líder, Maneco se serviu do mesmo título para nomear uma produção das 20h.



No dia 20 de novembro de 1990, estreava a minissérie Rosa dos Rumos (Manchete).

Com Rosa dos Rumos, o ainda inexperiente Walcyr Carrasco demonstrava seu poder de catalisar a audiência. A produção assinada pelo autor, exibida na sequência de Pantanal, vencia a Globo, que apresentava a novela Araponga e minisséries internacionais. No enredo, o drama de Rosa (Joana Medeiros), que repete o destino de suas ancestrais: ter uma filha sem nunca se casar. A criança de Rosa é fruto do abuso sexual do patrão Olegário (Umberto Magnani), que assassina sua esposa Branca (Cléo Ventura), fazendo com que a culpa do crime recaía sobre a empregada.



No dia 20 de novembro de 2000, estreava a novela Vidas Cruzadas (Record).

A Record reuniu um elenco de feras - Gianfrancesco Guarnieri, Jayme Periard, Laura Cardoso - para contar a história de Letícia (Patrícia de Sabrit), grávida e abandonada por Aquiles (Alexandre Barillari). Ao deixar a Suíça, em busca do pai de seu filho, ela se reconecta com o passado: seu avô Teodoro (Sérgio Britto) a trocou por um menino - Aquiles -, na intenção de dar um filho varão ao homem que arranjou para desposar sua herdeira, Beatriz (Ângela Leal). No fim da contas, Letícia termina apaixonada por Lucas (Dalton Vigh), alvo do interesse de sua tia Rafaela (Valéria Alencar).



No dia 20 de novembro de 2006, estreava a novela Pé na Jaca (Globo).

Nesta comédia sentimental de Carlos Lombardi, cinco amigos de infância se reencontram na bucólica Deus me Livre, interior de São Paulo, cidade onde cresceram. Todos em condições adversas: Arthur Fortuna (Murilo Benício) decretou falência; Gui (Juliana Paes) trabalha para sustentar os filhos e o marido agressor; Maria Bo (Fernanda Lima), celebridade que acaba de desfazer o casamento; Lance (Marcos Pasquim), o conquistador sempre perseguido por maridos ciumentos; e Elizabeth (Deborah Secco), a vilãzinha que deseja ser reconhecida pelo suposto pai milionário.



No dia 20 de novembro de 2006, terminava a novela Cidadão Brasileiro (Record).

A Record inaugurava seu segundo horário de teledramaturgia com esta trama de Lauro César Muniz. O autor bebeu na fonte de dois de seus trabalhos na Globo: Escalada (1975) e O Casarão (1976). Em cena, Antônio Maciel (Gabriel Braga Nunes), empreendedor que vê na construção de Brasília a possibilidade de ascender socialmente. Mulherengo incorrigível, Antônio se envolve com Fausta (Lucélia Santos), espécie de mentora maligna do rapaz; Carolina (Carla Cabral), com quem acaba se casando; e Luiza (Paloma Duarte), a herdeira dos Salles Jordão, seu verdadeiro amor. Lançada às 20h30, 'Cidadão' logo migrou para 22h, em busca de audiência.



No dia 20 de novembro de 2007, estreava a novela Amor e Intrigas (Record).

Vencedora de um concurso promovido pela Record em 2006, na busca por novos roteiristas, Gisele Joras estreou na televisão com o pé direito. A autora se baseou na clássica Vale Tudo (1988) para dar início à sua história: Valquíria (Renata Dominguez) liquida a confecção da mãe, que falece de tristeza. Resta a Alice (Vanessa Gerbelli), irmã da malvada, deixar a pacata Ouro Preto rumo ao Rio de Janeiro, onde Valquíria esbanja o dinheiro da família à caça de um marido rico. O alvo é Felipe (Luciano Szafir), noivo de Alexandra (Francisca Queiróz), que termina apaixonado por Alice.



No dia 20 de novembro de 2012, estreava o humorístico Feira do Riso (RedeTV!).

Ambientado numa feira livre, este humorístico da RedeTV! buscava repetir o êxito de similares como A Praça é Nossa (SBT, 1987) e Zorra Total (Globo, 1999). A receita era simples: personagens que remetiam ao ambiente em questão, exageros na caracterização, bordões na conclusão das piadas e sátiras de políticos, como a então presidente Dilma Rousseff. Tendo estreado nas terças-feiras, o 'Feira' logo ganhou uma edição aos sábados; posteriormente, migrou para as noites de quinta-feira. O SBT chegou a ter um programa de mesmo nome e formato, na década de 1980.

Leia também: 19 de novembro na história da TV: em 2004, último capítulo de Cabocla

Leia também: 18 de novembro na história da TV: em 1978, terminava a Praça da Alegria na Globo




commentDeixe sua opinião
menu