Carioca confirma fim do Pânico na Band em entrevista à Veja, mas garante continuidade do grupo



O Pânico na Band chegou mesmo ao fim. A informação é de Márvio Lúcio, o Carioca, um dos integrantes da equipe liderada por Emílio Surita, em entrevista concedida ao repórter Bruno Meier, da revista Veja. A trupe, no entanto, não se dilui.



"Fomos informados de que estaremos na Band só até dezembro. É claro que ficamos tristes. Há cerca de 100 pessoas que trabalham lá. [...] Mas o grupo não vai acabar: continua no rádio e pode ir para outra emissora". Ainda não há, contudo, nenhuma movimentação oficial de outros canais abertos, que poderiam se interessar pelo passe da equipe.

Sem citar nomes, Carioca relacionou a saída de colegas do elenco ao término da atração: "O Pânico perdeu muitos talentos. Muitos cresceram nas redes sociais e conquistaram sua autonomia artística. Embora eu tenha um bom número nas redes, nunca pensei assim. Fiquei preocupado em sair e atrapalhar o programa".

Pelo programa, figuraram nomes como Eduardo Sterblitch, já convocado para a próxima temporada do Tá no Ar: a TV na TV; Guilherme Santana, com recente passagem pela Globo, na nova versão de Os Trapalhões; Sabrina Sato, que hoje comanda um programa de auditório na Record TV; e Wellington Muniz, um dos nomes da linha de humor do Multishow.

Formato consagrado na rádio, remodelado para a TV em 2003, o Pânico construiu sua trajetória em cima de muita audiência e polêmicas. "O Pânico revolucionou o humor na TV. Em 2003, quando estreamos, a televisão era extremamente careta. A Globo exibia a novela Celebridade e vivíamos um tempo em que era proibido criticar celebridade. Era só "oi, linda, como você tá maravilhosa". O Pânico confundiu", relembrou o humorista.

Leia também: Fechar os olhos para O Outro Lado do Paraíso é ignorar violência contra a mulher

Leia também: Record agenda estreia de Apocalipse; saiba tudo sobre a trama e elenco




commentDeixe sua opinião
menu