O Outro Lado do Paraíso: o que esperar da próxima novela das nove?



Após várias novelas problemáticas, tendo como maior catástrofe a equivocada Babilônia (2015), o horário nobre da Globo finalmente renasceu. A Força do Querer devolveu para a faixa os elevados índices de audiência e ótima repercussão, não obtidos desde o sucesso Amor à Vida (2013) - sendo necessário citar a boa média de Império (2014), outra produção considerada bem-sucedida. Portanto, agora, a missão de O Outro Lado do Paraíso será manter os excelentes índices da trama de Glória Perez, deixando a fase de dificuldade definitivamente para trás.



E, curiosamente, Walcyr Carrasco mais uma vez entra após uma novela de sua colega. Aliás, tudo está cercado de situações interessantes. Em 2013, o autor tinha a responsabilidade de salvar o horário, após a problemática Salve Jorge, que derrubou a média do fenômeno Avenida Brasil (2012), sendo massacrada merecidamente pela crítica e público.

Era a estreia do escritor no horário nobre, depois de ter escrito para todas as faixas da Globo com êxito. Sua missão foi cumprida. Amor à Vida detém a maior média do horário pós-Avenida Brasil (36 pontos). Agora, foi Glória que elevou a audiência, conseguindo mais de 35 de média, e com méritos de sobra.

Mas, por tudo o que tem sido visto nas lindas chamadas da nova novela, as chances de manter a qualidade da faixa são altas. Dirigida por Mauro Mendonça Filho - parceiro do autor nos sucessos Gabriela e Verdades Secretas, além da já citada Amor à Vida -, a trama é um dramalhão repleto de conflitos polêmicos, prometendo tocar em vários assuntos espinhosos e que rendem bastante quando bem trabalhados.

O elenco é de peso, com grandes nomes em papéis centrais, o que também tem sido um grande chamariz. A narração da esplêndida Fernanda Montenegro enriqueceu as chamadas, que estão com uma fotografia belíssima de Tocantins, parte da ambientação do enredo.

A trama central é sobre a vida de Clara (Bianca Bin), uma jovem do interior de Tocantins que se divide entre dar aulas no quilombo onde vive Raquel (Erika Januza), sua melhor amiga, e ajudar no bar do avô, Josafá (Lima Duarte), com quem tem uma relação de imenso afeto, principalmente após a morte do pai, Jonas (Eucir de Souza), em um acidente durante a exploração de esmeraldas na terra da família. Essas esmeraldas, por sinal, terão grande importância no roteiro, pois serão fruto da ambição de Sophia (Marieta Severo), a grande vilã da história. A menina se envolverá com Gael (Sérgio Guizé), filho da poderosa fazendeira, e a víbora se aproveitará disso para dar um golpe.

O rapaz, aliás, é bipolar e tem um temperamento agressivo. Essa característica já fica ligeiramente exposta em uma das chamadas, quando seu descontrole assusta Clara. Sophia ainda é mãe de Lívia (Grazi Massafera), que é obcecada pelo médico Renato (Rafael Cardoso) - o mocinho -, e Estela (Juliana Caldas), que sofre de nanismo.

O autor, inclusive, usará a filha caçula da víbora para tratar desse tema, nunca antes abordado na teledramaturgia de forma séria. A fazendeira terá vergonha da garota e fará de tudo para afastá-la de todos, sempre a humilhando de forma cruel. E a personagem ainda aproveitará a instabilidade do filho para manipulá-lo, além de usar Livia para ajudá-la em seus planos. Ou seja, será uma vilã promissora e Marieta repete com Walcyr a bem-sucedida parceria de Verdades Secretas.

A vida da mocinha sofrerá uma virada quando a sogra armar para interná-la em uma clínica psiquiátrica, após o casamento da mocinha com Gael, tendo divisão total de bens. Clara ficará isolada nesse lugar por dez anos e resolve iniciar um plano de vingança depois que sai, deixando qualquer traço de inocência de lado.

Ela contará com a ajuda de Renato, com quem tinha uma relação de amizade antes da internação, embora ele sempre tivesse esperanças de algo a mais, e de Beatriz (Nathalia Timberg), misteriosa senhora que conhece no manicômio.

Essa revanche, embora muitos pensem, não é inspirada na série Revenge, e, sim, em Kill Bill (de Quentin Tarantino). Clara dará o troco em sete pessoas, todas envolvidas em sua desgraça. Afinal, Sophia contará com a ajuda do juiz Gustavo (Luis Melo) e sua esposa, Nádia (Eliane Giardini), do psiquiatra Samuel (Eriberto Leão) e do delegado Bernardo (Flávio Tolezani). Além de Lívia e Gael.

A trama terá duas fases e ambas ambientadas em Palmas/Tocantins. A primeira será focada na aproximação de Clara e Gael no Jalapão, enquanto a segunda explorará a fuga da protagonista da clínica e o seu plano de vingança. Outros temas importantes serão abordados, como racismo e homofobia.

Raquel se mudará para a capital, conseguindo emprego como doméstica na casa de Gustavo e Nádia. Ela se apaixonará pelo filho deles, Bruno (Caio Paduan), sendo correspondida. Porém, os pais não aceitarão o romance porque ela é negra. Já Samuel será casado com a exuberante Suzana (Ellen Roche) e transbordará homofobia. Mas, a verdade é que o médico é um gay enrustido e terá um caso com Cido (Rafael Zulu). Também terá espaço para a questão religiosa, tão em voga hoje em dia, pois a grande Zezé Motta viverá a Mãe do Quilombo e tem tudo para protagonizar situações interessantes.

O núcleo protagonizado por Glória Pires é outro que desperta atenção. Ela é Elizabeth, uma mulher de origem humilde, que vivia no Tocantins e acabou se mudando para o Rio de Janeiro quando se casou com o diplomata Henrique (Emílio de Melo), com quem teve uma filha, Adriana (Lara Cariello/Julia Dalavia).

A personagem sofrerá nas mãos do sogro, o diabólico Natanael (Juca de Oliveira), que nunca aprovou o casamento e teme que ela prejudique a carreira do filho. Apesar de íntegra, Beth se entristece com as ausências do marido (em virtude da profissão dele) e acaba caindo no plano do sogro, que arma com a suposta melhor amiga da nora, Jô (Bárbara Paz), para a esposa de Henrique trair o marido com Renan (Marcello Novaes). O plano acaba resultando em uma tragédia, pois o rapaz morre caindo da escada e ela acaba incriminada. Sem saída, a mulher forja sua morte e muda de identidade.

O elenco ainda conta com a já mencionada Fernanda Montenegro, vivendo a vidente Mercedes - que terá um romance com Josafá -, Juliano Cazarré, Mayana Neiva, Anderson Di Rizzi, Vera Mancini, Arthur Aguiar, Thiago Fragoso, Ana Lucia Torre, Genésio de Barros, Tainá Muller, Milhem Cortaz, Fernanda Rodrigues, Sandra Corveloni, Fábio Lago, Igor Angelkorte, Alejandro Claveaux, Bella Piero, entre outros. Haverá também a luxuosa participação da grande Laura Cardoso vivendo a cafetina Caetana na primeira fase, protagonizando um triângulo amoroso com Fernandona e Lima.

O Outro Lado do Paraíso tem todos os elementos de um novelão e as imagens estão deslumbrantes. Walcyr Carrasco tem uma galeria de sucessos para provar que sabe agradar o público. Resta saber se o enredo será bem desenvolvido e se realmente essas primeiras impressões farão jus ao conjunto que está prestes a estrear no horário nobre.

SÉRGIO SANTOS é apaixonado por televisão e está sempre de olho nos detalhes, como pode ser visto em seu blog. Contatos podem ser feitos pelo Twitter ou pelo Facebook. Ocupa este espaço às terças e quintas

Leia também: Até 22h30 ou até meia-noite: não há horário que aplaque o fenômeno A Força do Querer

Leia também: Semana da criança: de Fofão a Priscila, relembre os programas infantis com bonecos




commentDeixe sua opinião
menu