Artistas do elenco de Tieta que já morreram



Relembre abaixo os artistas de Tieta que já nos deixaram:

Yoná Magalhães



A intérprete da inesquecível Tonha, que passa por uma grande reformulação no decorrer da produção, Yoná foi uma das recordistas em participações em novelas no Brasil, tendo protagonizado diversas tramas a partir dos anos 1960. Morreu em 20 de outubro de 2015, aos 80 anos, em virtude de problemas cardíacos. Seu último papel foi Glória em Sangue Bom (2013).

Marcos Paulo



Consagrado ator e diretor, Marcos Paulo viveu Arturzinho - ou Mirko Stephano - ninguém menos que o filho do coronel Artur da Tapitanga (Ary Fontoura), que havia sumido há muitos anos. Morreu no dia 11 de novembro de 2012, vítima de embolia pulmonar - também lutava contra um câncer de esôfago desde maio de 2011.

Sebastião Vasconcelos



Um dos papeis mais marcantes de sua carreira foi o Zé Esteves de Tieta. O avarento pai da protagonista, que a expulsou de casa quando era jovem, e depois passou a viver da mesada que a própria enviava. O ator ainda fez outros personagens de sucesso, como o Floriano de Mulheres de Areia, e deixou a Globo para ingressar na Record em 2007, onde fez duas novelas. Em depressão após não receber novos convites para novelas, morreu em 15 de julho de 2013, aos 86 anos, de choque séptico e parada cardiorrespiratória.

Armando Bógus



O elenco de Tieta realmente tinha estrelas do mais alto quilate. Armando Bógus colocou mais um personagem em sua galeria de notáveis ao viver Modesto Pires na trama. O homem mais rico de Santana do Agreste tinha uma amante, Carol (Luiza Thomé), popularizando a expressão teúda e manteúda em todo o Brasil durante a exibição da novela. Depois de Tieta, ainda fez as novelas Meu Bem, Meu Mal e Pedra Sobre Pedra, além da minissérie Sex Appeal, seu último trabalho. Morreu em 2 de maio de 1993, aos 63 anos, vítima de leucemia.

Miriam Pires



Mistério... O bordão de Dona Milu pegou. A mãe de Carmosina (Arlete Salles) caiu no gosto do público. A atriz fez muitas novelas - estava na Globo desde a criação da emissora, em 1965, com pequenas saídas para outros canais - e morreu no decorrer de uma delas, Senhora do Destino, vitima de toxoplasmose, no dia 7 de setembro de 2004.

Cláudio Corrêa e Castro



Outro recordista em participações em novelas do Brasil, Cláudio Corrêa e Castro ainda atuou em diversas produções depois de viver o Padre Mariano de Tieta. Sua última novela foi Chocolate com Pimenta (2004). Ele morreu em 16 de agosto de 2005, aos 77 anos, vítima de falência múltipla de órgãos.

Cláudia Magno



Atriz que participou de diversas novelas nos anos 1980 e início dos anos 1990, viveu Silvana em Tieta. Morreu em 6 de janeiro de 1994, aos 35 anos, no Rio de Janeiro (RJ), vítima da AIDS, quando integrava o elenco de Sonho Meu.

Elias Gleizer



Muito querido pelo público, o ator viveu Jairo, o dono da marinete, que transportava o povo de Santana do Agreste. Depois de Tieta, o ator ainda participou de diversas novelas e morreu em 16 de maio de 2015, aos 81 anos. Sua última participação foi em Boogie Oogie (2014), como o Padre Cláudio.

Renato Consorte



Outro veterano ator, que participou das mais variadas produções desde os anos 1960. Em Tieta, viveu Chalita, o dono do bar, apaixonado por Amorzinho (Lilia Cabral). Morreu em 26 de janeiro de 2009, em São Paulo (SP), aos 85 anos, quando lutava contra um câncer de próstata.

Liana Duval



Liana Duval viveu Rafa, empregada de Ascânio (Reginaldo Faria). Ela também esteve em outras tramas, como A Próxima Vítima (1995) e Torre de Babel (1998), que foi sua última novela. Ela morreu em 23 de março de 2011, aos 83 anos, em Carmo da Cachoeira (MG), após lutar anos contra um câncer.

Ênio Santos



Ator de várias novelas desde os primeiros tempos da televisão e dublador de sucesso, Ênio Santos viveu Terto em Tieta e morreu aos 80 anos, em 30 de janeiro de 2002, no Rio de Janeiro (RJ). Sua última novela foi O Cravo e a Rosa, em 2000, quando fez uma participação como padre.

Chaguinha



O veterano ator viveu Pirica em Tieta e morreu em dezembro de 2014.

Rogéria



A participação de Rogéria na obra de Aguinaldo Silva, Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares rendeu cenas que hoje servem de bandeira à causa LGBT. Ninete desembarcou em Santana do Agreste para atuar como procuradora de Tieta (Betty Faria). Assediada pelo machista Amintas (Roberto Bonfim), Ninete revela seu nome de batismo: Valdemar. Foi ela quem levou Tonha para São Paulo, marco da virada da personagem - de submissa a mulherão. Rogéria faleceu na noite de 4 de setembro de 2017, aos 74 anos, no Rio de Janeiro, dias após ser hospitalizada em razão de uma infecção urinária, agravada após uma crise convulsiva.

Mais artistas

Também registamos a morte de alguns artistas que participaram especialmente da novela, mesmo em pequenos papeis:

José Lewgoy, que viveu Leovigildo Trindade, pai de Ascânio, morreu em 10 de fevereiro de 2003, aos 82 anos;

Carlos Zara, que viveu o Dr. Gama, executivo da Brastânio, morreu em 11 de dezembro de 2002, aos 72 anos;

Germano Filho, que viveu Jarde, que comprou as terras de Zé Esteves, morreu em 26 de abril de 1998, aos 65 anos;

Jorge Dória, que viveu o pastor Hilário, charlatão que ludibriou o povo da cidade, morreu em 6 de novembro de 2013, aos 92 anos;

Luís Carlos Arutin, fiscal de trens da estação de Esplanada, em pequena participação, morreu em um incêndio em seu apartamento em 8 de janeiro de 1996, aos 62 anos;

Paulo Nigri viveu Cosme em Tieta. Apesar da nossa intensa pesquisa, infelizmente não há informações precisas sobre a data de seu falecimento.

Leia também: Por onde anda o elenco de Tieta?

Leia também: Correria, mudanças e reações no exterior: tudo sobre os bastidores de Tieta




commentDeixe sua opinião
Últimas notícias


menu