Acompanhamento amargo em prato clássico francês elimina Victor Vieira do Masterchef Brasil





Um dos mais fortes participantes do Masterchef Brasil deixou o programa nesta terça-feira (09). Após se atrapalhar no primeiro desafio e errar o acompanhamento do prato na prova de eliminação, o diretor de marketing Victor Vieira deixou a atração na quarta colocação. Com a eliminação do capixaba, restam apenas três competidores na disputa pelo título de melhor cozinheiro amador do país.

A primeira prova da noite testou os talentos culinários e comerciais dos quatro finalistas. Em apenas 90 minutos, os participantes deveriam preparar um prato conceito de seus futuros restaurantes para quatro especialistas em gastronomia: Arnaldo Lorençato, renomado crítico de gastronomia, Arri Coser, investidor gastronômico e proprietário dos restaurantes Fogo de Chão, Benny Novak, chef empreendedor, e Marcelo Fernandes, proprietário de restaurante e investidor gastronômico.

Além de cozinhar para os renomados especialistas, os finalistas ainda precisavam apresentar a ideia do negócio durante o preparo da receita. A ordem de preparo dos pratos foi definida em um sorteio realizado antes do início da prova.

Cada competidor começaria a cozinhar quinze minutos após o início do anterior. O primeiro foi Valter, que escolheu preparar um assado de tira com molho de romã e dominó de batatas, apresentou uma ideia de restaurante muito confusa e que não convenceu os especialistas. Até a receita de Valter foi bastante questionada por misturar uma tira de carne bovina com molho de romã, mas mesmo assim, o catarinense não se intimidou e continuou o preparo do prato.



Na sequência, Victor Vieira assumiu o fogão para preparar uma de suas especialidades: um prato asiático. O capixaba optou por fazer galinha com salada de pepino e arroz de Hainan, uma típica receita da culinária de Singapura, no sudoeste asiático. Aliás, a culinária oriental é o tema que Victor pretende explorar no restaurante que pretende abrir. O plano de negócio sólido chamou a atenção dos especialistas e ganhou muitos elogios.

Após Valter e Victor, Michelle teve que apresentar seu plano e seu prato. A catarinense optou por preparar um raviolli de cacau com recheio de camarão, molho bisque e espuma de manga. Misturar elementos da culinária mundial, como o italiano raviolli, com ingredientes que deem um toque brasileiro no prato, como a manga e o cacau, é a proposta do estabelecimento que Michelle pretende criar. A ousadia da chef na escolha foi reconhecida pelos especialistas.

45 minutos após a prova começar foi a vez de Deborah iniciar o preparo de seu prato conceito. Ao longo de toda a sua trajetória na competição, Deborah sempre foi elogiada por preparar deliciosas farofas como acompanhamento de seus pratos. Foram os constantes elogios que fizeram a carioca idealizar uma farofaria bistrô como negócio, com receitas que transformem o tradicional acompanhamento em prato principal. O projeto foi o mais diferenciado e o que mais chamou a atenção dos quatro convidados. Como conceito deste ousado restaurante, Deborah preparou uma lagosta grelhada com farofa de castanha de caju e fettuccine ao molho pesto e tomate confit.



Após as apresentações e o término do preparo, os quatro convidados avaliaram os pratos preparados pelos participantes. O assado de tira com molho de romã e dominó de batata, de Valter, recebeu muitos elogios pelo sabor e pela ousadia. Victor não foi tão bem assim. A desorganização durante a execução da galinha com salada de pepino e arroz de Hainan impossibilitou a apresentação completa da receita, o que rendeu muitas críticas ao capixaba. Michele, que executou bem a receita, deixou a desejar apenas pela temperatura do prato, já que o raviolli foi servido frio. Deborah, a mais confiante durante o preparo do cardápio, acabou errado no ponto da lagosta e decepcionou os convidados. Mais uma vez, o destaque de Deborah foi a farofa.



Na avaliação final, Valter foi o grande vencedor da prova e foi direto para o mezanino, garantindo uma vaga direta na semifinal do programa. Para os demais, restou buscar as duas últimas vagas na prova eliminatória. O desafio era reproduzir o prato francês Tournedos Rossini, uma receita bicentenária que leva filé mignon e foie gras como ingredientes principais, em apenas 45 minutos. Além do Tournedos Rossini, os participantes deveriam preparar um acompanhamento à gosto.

Deborah e Michele não quiseram arriscar muito e escolheram fazer batatas como acompanhamento. Victor escolheu ousar e apostou em abobrinha e berinjela para acompanhar seu Tournedos Rossini. Durante a prova, o desespero dele ficou novamente evidente, enquanto Michele e Deborah não transpareciam nervosismo.

Ao provarem os pratos, Jacquim, Fogaça e Paola destacaram o prato de Michele por uma ótima execução e bom sabor. A decisão dos chefs garantiu a catarinense na semifinal da competição, ao lado de Valter.



Restaram aos amigos Deborah e Victor Vieira disputarem a última vaga no top 3 da temporada. Para os três jurados, o alto nível da competição fez com que o acompanhamento fizesse a diferença na hora de avaliar. O gosto amargo da berinjela se destacou mais que o sabor do prato feito por Victor. Desta maneira, o capixaba, que atualmente mora na China, não conseguiu agradar aos chefs e acabou eliminado. Agora, Michelle, Valter e Deborah seguem em busca do título de melhor cozinheiro amador do Brasil.

Leia também: A história da primeira e única novela da TV Gazeta

Leia também: Relembre a trajetória do Casa da Angélica; programa marcou estreia da apresentadora no SBT




commentDeixe sua opinião
menu