7 anos de ausência: Ana Paula Arósio deixou a TV após término de Na Forma da Lei; relembre



Lá se vão exatos sete anos sem Ana Paula Arósio na nossa telinha. Foi em 3 de agosto de 2010 que vimos a atriz em ação pela última vez: no episódio final de Na Forma de Lei, de Antonio Calmon, dirigida por Wolf Maya - que levou Arósio para a Globo em 1998, então "emprestada" pelo SBT, como protagonista da minissérie Hilda Furacão. Após a série policial, Ana Paula deixou o elenco de Insensato Coração e o posto de estrela da Globo.



A partir daí, Ana passou a "tombar" as redes sociais sempre que um registro seu é compartilhado por um amigo qualquer. Em 2014, "causou" numa passagem de nove segundos pelo Fantástico, onde comentou o lançamento do longa-metragem A Floresta Que Se Move, dirigido por Vinícius Coimbra (de Novo Mundo), protagonizado por ela e Gabriel Braga Nunes. Fato é que tudo que gira em torno da figura de Ana Paula Arósio, tal e qual aconteceu com Lídia Brondi, gera buzz.

A atriz se distanciou da televisão no auge. Uma decisão pessoal, conforme assegurou seu então assessor, Paulo Marra, a Isto É - Gente, de 25 de outubro de 2010: "Essa foi uma resolução pessoal, de ordem particular, e ela não vai se manifestar a respeito". A protagonista de Insensato Coração, Marina, selaria uma parceria com Gilberto Braga, iniciada no último capítulo de Celebridade - quando surgiu, belíssima, como a motociclista Alice, affair de Hugo (Henri Castelli).

Aquele 2010 foi agitado para Ana Paula Arósio. Ana Beatriz, a promotora de justiça que viveu em Na Forma da Lei, veio de forma inesperada. Wolf Maya, outra vez, foi determinante para a escalação da atriz - que já se preparava para a novela das 21h. A personagem guardava semelhanças com sua trajetória pessoal: forte, determinada, enfrentando um grande trauma relacionado a um amor do passado, a morte do namorado Eduardo (Thiago Fragoso). Na vida pessoal, Ana testemunhou o suicídio do noivo Luiz Tjurs, em 1996.

"É uma coisa que eu já trabalhei bastante e que agora tá tranquilo", comentou a respeito do trauma, revivido na ficção, em entrevista à Folha de São Paulo, de 23 de maio de 2010. Em Na Forma do Lei, Eduardo era alvo da sana assassina de Maurício Viegas (Márcio Garcia), ex-namorado de Ana Beatriz. Com amigos também a serviço da justiça - a policial Gabriela (Luana Piovani), o juiz Célio (Leonardo Machado), o advogado Edgar (Henri Castelli) e o jornalista Ademir (Samuel de Assis) - Beatriz batalhava para levar Maurício e sua família corrupta para a cadeia; o pai do jovem, João Carlos (Luís Melo), era senador.

Na Forma da Lei substituiu Força-Tarefa nas noites de terça-feira da Globo - antes da estreia, chegou a ser cogitado para as noites de domingos, após o Fantástico. Com média de 17 pontos, não saiu da primeira temporada, representando também o último trabalho de Antonio Calmon, até o momento, na TV.

Desde então, inúmeras tentativas para trazer Ana Paula Arósio de volta ao vídeo foram feitas. No ano seguinte à quebra de seu contrato com a Globo, Tiago Santiago tentou levá-la para o elenco de Amor e Revolução, do SBT. A Record colocou emissários em seu encalço, almejando contratá-la para o elenco de Máscaras (2012) e Vitória (2014) - e também expôs sua intimidade numa matéria do Domingo Espetacular, que chegou a ir até o sítio da atriz, em Santa Rita do Passo Quatro, interior de São Paulo. Até mesmo a emissora que deixou, constantemente, ensaia recontratá-la.

Ana, contudo, declinou de todos os convites. Mas nestes 7 anos de ausência, continuou presente na lembrança dos telespectadores. E no imaginário daqueles que ainda buscam entender o que a fez abdicar do estrelato. Talvez tenha sido justamente isto, a fama que nunca almejou, que a levou a se resguardar.

Leia também: Evaristo Costa fará muita falta no Jornal Hoje

Leia também: 3 de agosto na história da TV: em 2015, estreava Cúmplices de um Resgate




commentDeixe sua opinião
menu