Será que uma reprise de Os Dez Mandamentos é realmente necessária?



No dia 25 de julho, a Record fará uma boa revolução em sua grade de programação. A emissora irá estrear um novo jornal local, num estilo mais informal, mas com um pé no tradicional - antigo Praça Record -, a novela Belaventura e a reprise de Os Dez Mandamentos.



A saga de Moisés ficará no ar a partir das 18h15 e concorrerá diretamente com uma já badalada Novo Mundo. Elogiada pela crítica e querida pelo público, é difícil crer que seja ela quem perderá espectadores.

É notório que Os Dez Mandamentos tem um apelo folhetinesco impressionante. Eu, pessoalmente falando, não gostei da novela. Tem um texto arrastado, por vezes artificial, e atuações extremamente irregulares.

Uma prova da irregularidade é Ramsés, interpretado por Sérgio Marone. Caricato, sua atuação foi extremamente irregular, mesmo tendo boas nuances para desenvolver seu personagem.

A bem da verdade, o trio principal, que também tem Guilherme Winter e Camila Rodrigues - o primeiro como o lendário Moisés -, não foi bem como um todo. Mas, certamente, tiveram os papéis de sua vida.

Mais do que meu gosto pessoal, aqui analisamos a atual conjuntura da questão. E é bem óbvio que Os Dez Mandamentos ser reprisada neste momento é certamente uma queimação de lenha da Record.

Vamos tomar como exemplo Carrossel, o maior fenômeno recente do SBT. Pouco tempo depois de terminar, a emissora reprisou a novelinha no mesmíssimo horário em que Os Dez Mandamentos vai ao ar agora, às 18h15.

Muita gente achou, inclusive fãs do SBT, que seria novamente um fenômeno. Não só não foi, como a reprise saiu do ar em três semanas e ainda foi substituída pelo SBT Notícias com Neila Medeiros, com aquele comunicado dizendo que só ela era capaz de enfrentar a concorrência de Datena e Marcelo Rezende.

E isso porque nem entro no mérito que Os Dez Mandamentos ficou no ar até o ano passado, com nova temporada e tudo. Ou seja, está muito fresca na cabeça do telespectador.

Hoje, a grade da Record é mais organizada que a do SBT. Mas colocar mais uma reprise, sendo que o arquivo de tramas da emissora não é grande e as novelas bíblicas não estão na melhor fase - vide O Rico e Lazáro, que está em má fase no Ibope -, acho que a reprise tem mais chance de dar errado do que certo. Mas fato mesmo é que só dia 25 de julho saberemos disso.

Leia também: Informações falsas sobre cadastro de atores da Globo no Facebook prejudica jovens sonhadores

Leia também: Em junho excepcional, A Praça é Nossa lidera Ibope no Rio e PNT; humorístico fica próximo da Globo em SP




commentDeixe sua opinião
menu