A grande fase de Juliana Paes; confira a trajetória e ascensão da atriz



Quando iniciou sua carreira, em Laços de Família (2000-01), Juliana Paes logo chamou atenção por sua beleza estonteante e tipicamente brasileira. A exuberância a fez se destacar vivendo mulheres sensuais, como Jaqueline Joy em Celebridade (2003-04) e a falsa beata Creusa de América (2005).



Depois disso, ela logo tratou de se livrar do estigma de "eterna gostosona" e experimentou uma grande evolução ao longo dos anos. E as maiores provas deste crescimento são as quatro últimas obras em que ela atuou, que representam a melhor fase de sua trajetória: as novelas Meu Pedacinho de Chão (2014) e Totalmente Demais (2015-16), a série Dois Irmãos (2017) e a atual novela das 21h, A Força do Querer.

No remake da história de Benedito Ruy Barbosa, que ganhou um universo colorido, lúdico e infantil pelas mãos do diretor Luiz Fernando Carvalho, Juliana viveu a exagerada Madame Catarina, mãe da pequena Pituca (Geytsa Garcia) e esposa do coronel Epaminondas (Osmar Prado).

A personagem transitava constantemente entre a euforia histérica, o humor e a emoção, seja em sua relação com a filha, com o marido ou com o enteado Ferdinando (Johnny Massaro). A multiplicidade de nuances de Catarina permitiu que a atriz esbanjasse versatilidade e convencesse em todos os momentos, fazendo de sua performance um dos pontos mais positivos de Meu Pedacinho de Chão.

No ano seguinte, Juliana pediu ao diretor-geral da Rede Globo, Carlos Henrique Schroder, para interpretar uma vilã. A atriz foi prontamente presenteada com a ambiciosa e complexa Carolina Castilho, na elogiada Totalmente Demais (2015-16), que marcou a estreia dos autores Rosane Svartman e Paulo Halm na faixa das 19h após duas temporadas de sucesso de Malhação.

Diretora de redação da revista que leva o nome da novela, Carol mantinha um relacionamento gato-e-rato com Arthur (Fábio Assunção), agente de modelos. Os ânimos dos dois se acirraram quando o empresário apostou com ela que transformaria a mocinha Eliza (Marina Ruy Barbosa) em uma modelo de sucesso, enquanto a executiva fazia de tudo para evitar que a florista evoluísse - principalmente quando Arthur e a rival se envolveram em um romance. Ao mesmo tempo, a jornalista tinha uma relação de total cumplicidade com a irmã Dorinha (Samantha Schmutz).

Vivendo a personagem mais rica e controversa de Totalmente Demais, Juliana brilhou absoluta e esbanjou química com Fábio Assunção (com quem havia trabalhado em Celebridade). Ela ainda protagonizou cenas divertidas com Samantha, além de grandes embates com Marina Ruy Barbosa e Vivianne Pasmanter - que interpretou a amarga Lili, que tinha antipatia pela jornalista por esta ter se envolvido com seu marido Germano (Humberto Martins).

Antes de atuar na novela de Svartman e Halm, Juliana repetiu a parceria com Luiz Fernando Carvalho na série Dois Irmãos, baseada no romance de Milton Hatoum e escrita por Maria Camargo. A série, entretanto, foi exibida apenas em 2017 devido ao compromisso de Carvalho com a novela Velho Chico (2016).

Coube a ela interpretar Zana, a matriarca da família principal, na fase adulta (juntamente com a revelação Gabriela Mustafá, na primeira etapa; e a grandiosa Eliane Giardini, na última fase). Juliana deu mais um show e protagonizou grandes momentos ao vivenciar o amor diferenciado da libanesa entre os gêmeos Omar e Yaqub (Matheus Abreu/Cauã Reymond) e sua predileção escancarada, quase incestuosa, pelo caçula rebelde e inconsequente. Seu brilhantismo transferiu uma grande responsabilidade para Eliane Giardini, que manteve o alto nível da colega ao longo da série.

Agora, a atriz tem nas mãos mais um tipo desafiador: Bibi, uma das protagonistas de A Força do Querer, atual novela das nove. Inspirada na trajetória de Fabiana Escobar, esposa de um traficante carioca, a aspirante a advogada não hesita ao trocar o amor estável do advogado Caio (Rodrigo Lombardi) pela paixão avassaladora por Rubinho (Emílio Dantas), um rapaz que se envolve com o tráfico de drogas. O sentimento é intenso de tal forma que, mesmo sabendo que ele é um criminoso, Bibi arrisca sua vida pelo malandro, para desespero de sua mãe Aurora (Elizângela).

Em sua quarta parceria com a autora Glória Perez, Juliana já vinha apresentando um desempenho excelente desde o começo da novela. Contudo, seu destaque se intensificou no início do mês passado, quando Rubinho foi preso por Jeiza (Paolla Oliveira).

De lá para cá, todos os desdobramentos desta trama valorizaram ainda mais a competência da intérprete e de seus parceiros de cena, que brilham de igual forma quando estão junto com ela. Um destaque especial deve ser feito para Elizângela, que voltou à Globo após fazer A Terra Prometida na RecordTV e que vem emocionando com o drama de Aurora ao ver a filha se enveredar pelo mundo do crime.

Estas quatro personagens representam o momento de grande consagração que Juliana Paes vive no momento. Sua evolução na carreira salta aos olhos à medida que a atriz passou a viver personagens mais complexas e desafiadoras, exercitando sua versatilidade em várias facetas, seja em tipos cômicos, dramáticos, sensuais ou com tendências à vilania.

Apesar disso, Juliana já havia tido bons momentos antes desta grande fase, como em Pé na Jaca (2006-07) e A Favorita (2008). Em Caminho das Índias (2009), viveu sua primeira protagonista, a indiana Maya, e teve boa sintonia com Rodrigo Lombardi. Ela ainda participou do remake de O Astro (2011) e protagonizou a nova versão de Gabriela em 2012. Apesar das críticas envolvendo sua escolha e da falta de um enredo atraente para a personagem, o que a fez ser ofuscada por perfis como Doroteia (Laura Cardoso), Jesuíno (José Wilker) e Lindinalva (Giovanna Lancellotti), Juliana não fez feio vivendo a icônica personagem de Jorge Amado.

Agora, a atriz experimenta a melhor fase de sua carreira, fundamentada em papeis diferenciados e cheios de nuances. Seja como a descompensada Catarina de Meu Pedacinho de Chão, a ambígua e sensual Carolina de Totalmente Demais, a matriarca Zana de Dois Irmãos ou a impulsiva Bibi de A Força do Querer, Juliana Paes reafirma sua competência e versatilidade. Além de ser uma das estrelas mais carismáticas e belas do país, ela pode dizer com todas as letras que é uma autêntica atriz. E seu sucesso é muito merecido e reconhecido por público e imprensa.

Leia também: Galvão Bueno entra no mata-mata da Libertadores e narrará jogo do Palmeiras nesta quarta-feira

Leia também: Dudu Camargo merece críticas, mas o que a internet fez com ele nesta terça é covardia




commentDeixe sua opinião
menu