Pesos, medidas e quem vai bem: um mapa completo da audiência da TV pelo Brasil



São 15 metrópoles que definem o destino da televisão. Mais exatamente, São Paulo e Rio de Janeiro. A força das duas maiores cidades do Brasil é clara na importância do peso que define a média final do chamado Painel Nacional de Televisão (PNT).

Os pesos de SP e RJ representam, juntos, 46,6%, ou seja, quase metade. A terceira maior força é Belo Horizonte, com apenas 7,8%. Porto Alegre e Salvador completam o TOP 5 das cidades mais importantes.

Na média final, invariavelmente, nem sempre ter um maior número de indivíduos que assistem TV quer dizer um peso maior. O que é considerado é o número de domicílios com televisão.

Exemplo: Curitiba tem menos telespectadores que Fortaleza - 3 milhões contra 3,4 milhões, respectivamente. Já a capital do país tem menos peso em relação à própria Curitiba e Fortaleza (4,6% das duas citadas contra 3,9% de Brasília).



Hoje, o Ibope tem uma amostra de 1.600 domicílios com o chamado Peoplemeter. O Rio de Janeiro vem atrás, com 920. Os menores são Goiânia, Belém, Campinas, Vitória e Manaus, com 220 domicílios.

No total, são 6.060 domicílios amostrados que definem o destino da televisão, as mudanças na grade de programação e os roteiros de novelas.

O destaque de cada emissora

Globo: tem bons números em todo o Brasil, mas se destacam cidades do Sul do país, como Porto Alegre e Florianópolis. Novelas atingem números impressionantes, acima dos 30 pontos com facilidade.

Record: tem uma penetração grande no Norte e Nordeste do Brasil. Seu maior destaque hoje é Salvador, onde tem média dia de 10 pontos de audiência. Belém consegue nove pontos, além das novelas bíblicas chegarem a liderar no horário nobre.

SBT: Centro-Oeste e Nordeste são seus destaques. Em Goiânia, o canal de Silvio Santos está dois pontos atrás da Globo na média das 24 horas - 10 pontos contra 12. Em Fortaleza, lidera das 11h às 14h, diariamente, por conta de programas locais populares e policialescos.

Band: mantém um padrão de Ibope em todo o Brasil, fechando entre dois e três pontos. Seu destaque é Belém, onde vários programas chegam a picar liderança. Isso se deve a força da RBA, sua afiliada, que apela para programas policiais para subir a audiência.

RedeTV!: ainda não tem um conceito de rede em todo o Brasil. Fora de São Paulo, só consegue se destacar com força em Brasília graças a sua afiliada, a

TV Brasília. No Rio de Janeiro, consegue vencer a Band em várias faixas, nas noites de domingo.

Números totais da TV brasileira

Atualmente, fazem parte do Painel Nacional de Televisão (PNT) exatamente 68.821.092. Já o número de domicílios com TV são exatos 24.570.186 nas 15 principais metrópoles.

Vale lembrar que, em outras cidades que não têm a medição instantânea, o Ibope costuma medir os números quando são contratados de forma isolada por emissoras. A amostragem é feita no sistema de flagrante e pesquisa, como acontecia nos anos 80 nos grandes centros.

Normalmente, a atualização dos dados fora das 15 cidades são a cada semestre. No entanto, em localidades mais afastadas como Aracaju, Rio Branco e Palmas, a atualização dos números é feita anualmente, normalmente no segundo semestre.

Leia também: Sarradas, selfies e polêmicas: uma noite na cola de Dudu Camargo

Leia também: RedeTV! muda tudo novamente: A Tarde é Sua também será exibido à noite e emissora apresentará nova programação dia 10




commentDeixe sua opinião
menu