Primeira foto do novo Os Trapalhões já mostra quais serão os principais erros e acertos do remake



Nesta terça-feira (27), a Globo divulgou a primeira foto do elenco do remake de Os Trapalhões, que irá ao ar a partir do dia 17 de julho, no canal Viva, e posteriormente na Globo, durante o segundo semestre.



Nela, vemos Dedeco (Bruno Gissoni), Didico (Lucas Veloso), Mussa (Mumuzinho) e Zaca (Gui Santana) fazendo caretas. Renato Aragão e Dedé Santana estarão no remake para ensinar os pupilos a serem Trapalhões de verdade.

Mas, já nesta primeira foto - é possível sim, acreditem vocês, nobres leitores - podemos tirar algumas conclusões do que será bom e ruim na nova versão que estreia em três semanas.

A bem da verdade, não sou a favor de refazerem Os Trapalhões. Ao contrário da Escolinha do Professor Raimundo, que conta com personagens que não dependem tanto de seus intérpretes originais, o quarteto inicial é único e muito diferenciado.

Renato Aragão, Dedé Santana, Mussum e Zacarias tinham uma sinergia diferenciada. Mais do que isso, as palhaçadas dos quatro transcendiam as telas porque eram perfeitas. E só eles sabiam fazer o que faziam.

Além disso, muito daquele humor dos Trapalhões, que passava bastante pelo politicamente incorreto, só era possível naquela época. Hoje em dia, acho difícil que piadas mais pesadas - e não eram poucas que a trupe fazia - passem pelo público despercebidas.

Mas vamos lá, agora não tem volta. O principal acerto, sem dúvida, é Gui Santana, ex-Pânico na Band. Gui já é, de algum tempo, o melhor imitador de Zacarias do Brasil e nunca teve o seu potencial explorado pela trupe de Emílio Surita, que preferia fazer piadinhas com a opção sexual dele. Agora, Gui terá chance de brilhar como nunca brilhou antes - nem mesmo na época de MTV teve tanto espaço.

Outro bom acerto foi Mumuzinho como Mussum. O sambista tem uma história parecida com a do Trapalhão e já tem boa experiência como ator - fez filmes como Cidade dos Homens e Cidade De Deus. E, pelo que posta nas redes sociais, está empolgado e muito feliz pela escalação, torcendo para dar certo.

Mas o restante do elenco, esse sim, é um erro que já está anunciado. Bruno Gissoni fazendo as vezes de Dedé é entendível, mas meio estranho. Gissoni é um galã secundário da Globo, um ator correto, mas nada demais. E nunca mostrou ter veia cômica, é apenas canastra em muitos casos.

Já Lucas Veloso tem que fazer o público não odiá-lo. Didi, a bem da verdade, nunca foi o Trapalhão mais amado - muita gente diz que o odiava e ainda o odeia até hoje. Pode mudar a história de um papel a depender do que interprete.



Gostei também da ideia de colocarem Nego do Borel como Tião Macalé, mas espero que não o explorem muito, porque o foco precisa ser no quarteto principal, como era nos bons e áureos tempos.

Outras conclusões, claro, só serão tomadas a partir do dia 17, mas a nova versão dos Trapalhões tem tudo para ser um A Turma do Didi atualizada. E numa boa, ninguém quer A Turma do Didi com outro nome de volta. Isso só mancharia a marca forte que é Os Trapalhões.

Leia também: Inovações no jornalismo da Globo são positivas e telespectadores poderão colher os frutos em breve

Leia também: Jornal de afiliada da Globo completa cinco anos e apresentadores leem críticas ao vivo durante edição especial




commentDeixe sua opinião
menu