Luciana Liviero lança canal no YouTube, mas diz sentir saudade de grandes coberturas na TV



Uma das mais experientes e conceituadas jornalistas da televisão, a apresentadora Luciana Liviero não quer deixar de cobrir os momentos turbulentos que o Brasil está vivendo.



Ela está fora da televisão desde 2013, quando deixou a RecordTV em definitivo. Em 2014, participou da cobertura eleitoral da RedeTV! e o próprio canal confirmou que estava interessado em contratá-la em definitivo, mas acabou não acontecendo.

Agora, na internet, ela criou quadros que aproveitam o melhor que teve na televisão. Entrevista jornalistas e personalidades importantes, e tem um quadro onde fala o que pensa chamado A Indignada.

Mas Luciana admite, em entrevista exclusiva para o TV História, que sente falta da correria das redações, mas que está focada no conteúdo para o YouTube: "O primeiro passo foi colocar o canal no ar. Agora, vou correr atrás disso, entender melhor como funciona e quais são as possibilidades".

Leia a conversa na íntegra:

TV História - Qual o seu principal objetivo com este canal no YouTube?

Luciana Liviero - São alguns, na verdade. Ter um canal direto de comunicação com o público, liberdade para criar e colocar em prática ideias que estão comigo há muito tempo e independência para gerir o meu próprio negócio.

Você tem encontrado alguma dificuldade em relação a conteúdo e patrocínio neste início de empreitada?

Dificuldade em relação a conteúdo, nenhuma! É verdade que algumas ideias demandam mais tempo e investimento e terão que esperar um pouco mais. Entretanto, já tenho bastante conteúdo encaminhado para novas postagens todos os dias. Sobre patrocínio, ainda estou engatinhando no assunto. O primeiro passo foi colocar o canal no ar. Agora, vou correr atrás disso, entender melhor como funciona e quais são as possibilidades.

Depois que você saiu da Record, seu nome foi especulado na RedeTV!. Você até fez uma participação em cobertura. O que houve para sua contratação não ser efetivada?

Quando conversei com a RedeTV!, tinha acabado de gravar o piloto de um projeto idealizado por mim e acreditava que tinha tudo para dar certo. Tive que optar e, infelizmente, a minha aposta acabou não indo pra frente. Foi uma questão de timing.

Como vê o jornalismo brasileiro atual?

Tenho pena de quem cobre política. A sucessão de notícias, desde o Impeachment até a Lava-Jato, deixa qualquer um tonto e confuso. Temos um papel fundamental nesse processo todo e acho que o jornalismo, de uma maneira geral, tem contribuído para a mudança de pensamentos e atitudes. Claro que nem tudo é bom, nem tudo esclarece, nem todos informam com a seriedade e o comprometimento que deveriam. Mas, diante de variedade de fontes de informação que temos, isso faz parte.

A rotina de televisão, de alguma forma, lhe faz falta no seu dia a dia?

Sinto falta das grandes coberturas, das notícias factuais que provocam correria nas redações. Mas agora, com o meu canal, vou poder matar essa vontade com o quadro A Indignada. Toda sexta-feira, vou destacar notícias da semana e dar meu ponto de vista a respeito. Tenho essa marca dos comentários nos telejornais e quis trazer isso para o YouTube também. Gosto de notícia e informar está no meu sangue. Além do que, vivemos num momento de forte turbulência no país e eu não quero ficar fora dessa.

Quais os seus planos de crescimento para o YouTube?

Não estipulei uma meta e estou sem pressa. Pelo que vi e ouvi de muita gente, um canal no YouTube leva tempo para se estabelecer e estou disposta e preparada para esperar. Tenho ainda muito o que aprender sobre essa nova ferramenta e sei que isso vai acontecer aos poucos.







commentDeixe sua opinião
menu