Aproveitando onda liberal da TV, Record muda classificação de reprise de Vidas em Jogo



Encerrada no segundo semestre do ano passado, a vinculação horária à classificação indicativa ainda estava sendo respeitada pelas emissoras de televisão que tinham medo de arriscar em cenas mais ousadas.



Aos poucos, os canais perdem o medo. Primeiro foi a Globo, anunciando a reprise de Sai de Baixo com classificação de 12 anos. Agora, foi a RecordTV que decidiu tomar uma atitude em relação a uma de suas novelas exibidas à tarde: a reexibição de Vidas em Jogo, uma das mais fortes produzidas pelo canal em sua história.

Em despacho publicado no Diário Oficial da União na última sexta-feira (28), a Record pediu a reclassificação da trama de "não recomendado para menores de 10 anos" para "não recomendado para menores de 12 anos".

A emissora emitiu o pedido de revisão porque quer ousar mais na maioria de suas cenas. Chegando em seu final, Vidas em Jogo terá passagens extremamente pesadas, incompatíveis com a classificação anterior.

Um dos exemplos é o personagem Carlinhos, interpretado por Ricky Tavares. Jogador de futebol promissor, ele irá se viciar em crack, vivendo em uma espécie de cracolândia do Rio de Janeiro.

Outra passagem, que já está acontecendo, é a do Palhaço Assassino, serial killer do folhetim. O mistério sobre sua identidade fica até o final e foi um dos chamarizes de Ibope em sua exibição original, entre 2011 e 2012.

Vidas em Jogo está no ar desde setembro de 2015 e substituiu outra trama forte feita pela Record: Chamas da Vida, da mesma autora, Cristianne Fridman. A novela começou com classificação de "não recomendada para menores de 14 anos", mas por críticas ao seu forte conteúdo, começou a ter uma versão editada exibida.

Tendo como cenário a cidade do Rio de Janeiro, a trama discorre sobre o quanto o dinheiro pode mudar a vida das pessoas. Inicialmente, Guilherme Berenguer e Julianne Trevisol interpretam os protagonistas, os sem-teto Francisco e Rita, respectivamente.

Ele um rapaz à procura de seus irmãos, os quais foram separados dele na adolescência depois da morte de seus pais no Maranhão; ela uma moça que sonha em ser bailarina e, anos atrás, foi expulsa de casa pelo pai, um homem que agride fisicamente sua mãe e a tratava com desprezo.

Na reta final da história há uma inversão de valores, uma vez que Thaís Fersoza incorpora o perfil de protagonista, enquanto Julianne é alçada ao posto de antagonista.

A previsão de término para esta reprise é para julho deste ano. A RecordTV ainda não definiu qual será a sua substituta.







commentDeixe sua opinião
menu