Apoiando greve geral, TV Brasil irá parar na sexta; trabalhadores da Cultura querem seguir a ideia



Na próxima sexta-feira (28), trabalhadores de várias categorias estão prometendo uma greve geral no Brasil. Em questão de apoio, algo curioso pode acontecer: as duas principais TVs públicas do Brasil podem parar.

A TV Brasil, pertencente à Empresa Brasil de Comunicação (EBC), ligada ao Governo Federal, aprovou o indicativo de paralisação em reunião feita na semana passada, segundo o Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal.



O protesto ocorrerá por conta das reformas da previdência e trabalhista em tramitação no Congresso Nacional.

Na TV Brasil, a paralisação também é por conta das mudanças ocorridas no canal em relação aos investimentos, pedindo que a rede não seja sucateada.

Recentemente, o TV História divulgou que a TV Brasil decidiu não pagar mais por direitos esportivos e que deixará de transmitir as Séries B, C e D do Campeonato Brasileiro, suas maiores audiências. O fato revoltou os trabalhadores, que acreditavam na visibilidade que o futebol trazia para a emissora.

Além da TV Brasil, a TV Cultura pode parar também. Segundo apurou o TV História , uma reunião dos trabalhadores do canal mantido pela Fundação Padre Anchieta acontecerá nesta quarta-feira (26) para definir a situação.



Além da questão pública da reforma da previdência, a paralisação seria em forma de protesto sobre as recentes polêmicas do canal paulista. No dia 11 de abril, a emissora cortou uma crítica da Banda Alfaia à João Dória, prefeito de São Paulo, e Geraldo Alckmin, governador de São Paulo, em vídeo no canal do Cultura Livre no YouTube.

O corte aconteceu na música Liga nas de Cem, que faz uma crítica aos tucanos. O fato revoltou os trabalhadores, que já reclamam dos inúmeros cortes em jornalísticos da casa, que não podem fazer reportagens depreciativas contra membros do PSDB.

A paralisação, no entanto, não está definida. A maioria teme que o dia parado acabe acarretando em demissões, mesmo com um acordo entre a justiça e a Cultura proibindo demissões desde o fim de 2016 até o fim de 2017, por conta da greve por melhores salários ocorrida no fim do ano passado.

Mesmo com a proibição, a Cultura fez uma leva de demissões no fim de 2016. A repórter Claudia Tavares, com 20 anos de casa, foi dispensada no plantão de Natal do canal no ano passado, o que revolta muitos até hoje. O Tribunal Regional do Trabalho ainda tenta revogar a decisão por conta do acordo.







commentDeixe sua opinião
menu