Brasília e Salvador viram exemplo para desligamento analógico das emissoras



Ainda neste ano, várias capitais do Brasil estarão desligando o seu sinal analógico de televisão. A próxima da lista é Goiânia (GO), que faz forte campanha para avisar a sua população que o chamado switch-off acontecerá no dia 31 de maio.

As emissoras correm para os ajustes finais. O que chama a atenção é o investimento monstruoso. Segundo apuração do TV História, os canais goianos gastaram cerca de R$ 45 milhões para digitalizar Goiânia.

A RecordTV Goiás foi a que mais investiu em digitalização: gastou R$ 20 milhões, enquanto TV Anhanguera/Globo e TV Serra Dourada/SBT gastaram, cada uma, cerca de R$ 10 milhões. Por fim, a TV Goiânia/Band investiu R$ 5 milhões.

Quando falamos em digitalização não falamos apenas em equipamentos técnicos, como câmeras, novas ilhas de edição e produção mais arrojada, funcionando com modernos cartões de memória. Existem também investimentos em estúdios e novos switchers para a apresentação de programas, além de aumento de potência de sinal.

Muitas destas emissoras estão usando como exemplo o que aconteceu em Brasília (DF) e em Salvador (BA) - esta segunda só terá o seu switch-off em julho deste ano. Em Brasília, o trabalho de divulgação feito deixou um pouco a desejar, mas os investimentos começaram relativamente cedo.



Com exceção da TV Brasília, afiliada da RedeTV!, todas as emissoras já tinham sinais digitais prontos para o desligamento no início de 2015, mais de um ano antes do prazo. O adiamento só ocorreu pela demora do público em ficar pronto para receber apenas o sinal digital.

Além disso, a retirada de SBT, RedeTV! e Record das TVs pagas por conta da Simba não prejudicou a audiência dos programas locais, que continuam marcando os índices que tinham mesmo sem estar na TV paga. Tudo isso por conta da boa imagem distribuída e da divulgação feita.

Em Salvador, outro grande exemplo. As emissoras gastaram R$ 54 milhões para a digitalização - a RecordTV Itapoan investiu RS 20 milhões na modernização. Já a TV Bahia/Globo investiu cerca de R$ 18 milhões. A TV Aratu/SBT já tirou de seus cofres cerca de R$ 10 milhões. Por fim, a Band Bahia investiu R$ 6 milhões.

O exemplo é a qualidade de sinal e a divulgação bem-feita. Desde o último trimestre do ano passado, as emissoras já alertam para o desligamento analógico - principalmente a RecordTV Itapoan e a TV Aratu/SBT.

Na última segunda-feira (10), a RecordTV, inclusive, teve um teste de fogo. Por um problema técnico, o sinal analógico da emissora ficou fora do ar por cerca de duas horas, durante o programa de maior audiência da casa, o Balanço Geral BA, apresentado por José Eduardo, o Bocão.

Mesmo sem ele, a atração obteve um alto pico de audiência: 24 pontos e liderança, por volta das 13h, quando estava sem o sinal analógico. O apresentador só foi avisado disso após o programa terminar e ficou extremamente satisfeito.

O desligamento total no Brasil está previsto para acontecer apenas em 2023. Primeiro, regiões metropolitanas estão tendo o switch-off, que só deve terminar no fim de 2018. Depois, parte para o interior do Brasil, onde o trabalho promete ser bem mais árduo.







commentDeixe sua opinião
menu