Ernesto Paglia percorre 235 km a pé em Globo Repórter sobre caminhada



Na semana em que completa 44 anos no ar, o Globo Repórter lança um desafio para a equipe: atravessar a praia do Cassino, a maior do Brasil, caminhando por 235 quilômetros durante sete dias no Balneário do Cassino, no Rio Grande do Sul, até a fronteira com o Uruguai, em Santa Vitória do Palmar.



O repórter Ernesto Paglia topou o desafio e, para enfrentá-lo, dormiu acampado em barracas, atravessou riachos gelados, viu o clima mudar num espaço curto de tempo - do sol a pino a ventos uivantes - e andou muito, por alguns dias. Será que ele vai conseguir completar o desafio e chegar ao destino final?

Esse é apenas uma das provas do Globo Repórter desta sexta-feira (7), cuja temática é a caminhada. "Caminhar é natural, inerente à condição humana. O homo sapiens se diferencia dos animais por ficar hereto e conseguir andar. Mas temos abandonado essa condição e estamos ficando cada vez mais sedentários", reflete Ernesto Paglia que, ao longo das três semanas em que se dedicou a essa produção, entrevistou quase todos os personagens deste programa em ação: andando.

A trilha da Praia do Cassino foi o destino escolhido pelo bem sucedido cirurgião dentista Fernando para pensar na vida. Há alguns anos ele percorreu todo esse caminho sozinho e depois da experiência nunca mais foi o mesmo. "Aqui eu não sou pai, não sou profissional, não sou tio, não sou empregado, não sou marido. Aqui eu sou o Fernando, caminhando, sem nenhum papel que esperam de mim", conta. Foi caminhando que ele decidiu que ficaria menos horas no consultório. "É difícil prestar atenção nessas coisas na correria do dia a dia. E não passamos um dia assim, mas 10 anos da vida nessa correria", conclui o dentista.

Além da longa caminhada na Praia do Cassino, Paglia também viveu outras histórias para gravar esse programa. Ele acompanhou um grupo de romeiros em uma caminhada de 15 quilômetros nas ladeiras de Minas Gerais e uma senhora que mora perto de uma área de Proteção Ambiental, onde não há transporte público. Com isso, ela demora duas horas caminhando para levar o filho, a pé, até a melhor escola pública da cidade. Só então ela pega um ônibus que a leva a faculdade e ao estágio. Ela era faxineira do Parque Estadual mas tem o sonho de se tornar bióloga.

Especialistas dizem que, para não ser considerado sedentário, é preciso caminhar mais de 10 mil passos por dia. E pequenas ações, como evitar o carro e o elevador, ajudam a concretizar esse objetivo. Nunca é tarde para começar. Há pessoas que começaram a caminhar longas distâncias aos 70 anos e, aos 90, mantêm uma rotina saudável e a saúde em dia, com a ajuda de exercícios regulares. Médicos do INCOR afirmam que pacientes idosos controlam melhor a pressão depois de fazer exercícios leves.

E os dois personagens monitorados pelo programa comprovam que a prática regular de caminhada mantém a pressão arterial deles bem controlada. As motivações para mudar de vida são muitas. Pode ser a realização de um sonho, a busca de uma vida mais longa e saudável e até motivações religiosas. O programa vai mostrar o que move os brasileiros nessa direção.

O Globo Repórter vai ao ar a partir das 22h45, logo após o Big Brother Brasil 17, na Globo.







commentDeixe sua opinião
menu