Primeiras imagens de A Força do Querer deixaram uma impressão bastante positiva



Sucedendo a malfadada A Lei do Amor, A Força do Querer marca o retorno de Glória Perez às 21h após quatro anos de sua última novela, a igualmente criticada Salve Jorge. Desta vez com a direção de Rogério Gomes (Papinha), a novela não terá um núcleo de costumes exóticos em outro país - e sim no próprio Brasil, com lendas da Amazônia.

E, como é costume da autora, também haverá espaço para temas pontuais como transgênero, vício em jogos e empoderamento feminino. O mote central da novela é o querer, os desejos de cada personagem e as consequências que a busca por esses desejos provocará, como se viu no clipe institucional de 30 minutos que apresenta a história.

Três mulheres nortearão as histórias principais: Ritinha (Isis Valverde), Jeiza (Paolla Oliveira) e Bibi (Juliana Paes). De início, a autora fará um rodízio em que cada uma delas terá alguns capítulos como protagonista, enquanto as outras serão coadjuvantes - rodízio este que se inicia com a personagem de Isis. Após este período, as trajetórias delas serão interligadas e se cruzarão.



Ritinha, interpretada por Isis Valverde, é uma garota que acredita ser uma sereia e gosta da sedução que exerce sobre os homens, especialmente Zeca (Marco Pigossi) e Ruy (Fiuk). Quando crianças, os rapazes quase morreram afogados no rio e foram salvos por um índio, que lhes deu um amuleto. Após 15 anos, eles se reencontram, movidos pelo desejo que sentem pela mesma mulher. Ela trabalha em um aquário como sereia e quer ir para o Rio de Janeiro, o que faz com que a jovem jogue com os desejos dos dois rapazes, o que despertará a fúria de Zeca após o seu casamento com ela.

Ritinha não tem noção do que é certo ou errado e gosta de ser livre. Tudo isso dá um certo ar de ambiguidade para a personagem de Isis, que volta às telinhas após dois anos. A talentosa atriz repetirá várias parcerias: com a autora Glória Perez, com quem trabalhou em Caminho das Índias e indiretamente na série O Canto da Sereia (onde Glória foi supervisora de texto); com Marco Pigossi, que foi seu par romântico em sua última novela, Boogie Oogie (2014-15) e cuja química permanece intacta; e com Zezé Polessa, de quem foi filha em Beleza Pura (2008), na qual viveu a divertida Rakelli. A julgar pelo apresentado no clipe, Isis tem tudo para brilhar na nova trama.



Jeiza, personagem de Paolla Oliveira, abordará o empoderamento feminino. Ela trabalha como policial no Batalhão de Ações com Cães da PM do Rio e sonha em ser lutadora profissional de MMA. Jeiza acredita fortemente que a mulher pode ser e fazer o que quiser e não se intimida por estar em ambientes considerados masculinos pela sociedade. Faz questão de se defender sozinha e, em seus relacionamentos, é ela quem dita as regras: não aceita ser controlada por nenhum namorado e quer que seu parceiro respeite as escolhas e a profissão dela - o que a faz terminar o namoro com Vitor (Alejandro Claveaux), seu namorado no início da novela. Nas horas de folga, Jeiza é vaidosa e gosta de se produzir e estar bonita e sensual, o que realça seu lado feminino.

Durante uma blitz, ela conhece Zeca, que chega a Niterói disposto a esquecer Ritinha e vai morar na casa da tia Nazaré (Luci Pereira), vizinha da policial, que os apresenta. De início, a antipatia é imediata, devido ao choque de personalidades: enquanto Jeiza acredita no poder da mulher, Zeca vem de um universo oposto - caminhoneiro, do interior, de criação machista. Porém, aos poucos, vão se tornando amigos e acabam se envolvendo em um romance, que será posto à prova quando o caminhoneiro perceber que o sentimento por Ritinha ainda é forte. Em meio a isso, Jeiza também vai investigar a conduta criminosa de Bibi e também se envolverá com Caio, ex desta última.

Pelo que foi apresentado, Jeiza pode ser mais uma grande personagem para Paolla Oliveira. A atriz, que em certo momento da carreira chegou a ficar conhecida por fazer mocinhas insossas (como Marina, de Insensato Coração, e Paloma, de Amor à Vida), faz sua estreia ao lado de Glória Perez e tem nas mãos uma mulher de personalidade forte e bem-resolvida - após fazer sucesso com a sedutora Danny Bond de Felizes Para Sempre e a vilã Melissa de Além do Tempo. O desempenho de Paolla nas cenas apresentadas não lembra em nada seus papeis anteriores e já se percebe uma visível química com Pigossi. E por todo o seu conjunto de garra, autoestima, empoderamento e segurança, Jeiza pode ser considerada o oposto de Érica, militar vivida por Flávia Alessandra em Salve Jorge, que vivia se arrastando e se anulando pelo cansativo mocinho Theo (Rodrigo Lombardi). Paolla vem em uma visível crescente e já deu amostras de que pode brilhar muito vivendo a policial.



Bibi, vivida por Juliana Paes, é uma mulher que gosta de viver tudo com alta adrenalina. Namorada de Caio (Rodrigo Lombardi), não sente mais a mesma energia de outros tempos, acha que o relacionamento ficou muito convencional. Em função disso, passa a se envolver com Rubinho (Emílio Dantas), um rapaz que faz bicos de garçom e, com ele, vive a paixão que sentia que faltava. Caio se muda para os Estados Unidos e, após 15 anos, reencontra Bibi, que vive dificuldades financeiras e, em nome da paixão arrebatadora, chega a entrar para o mundo do crime, enquanto ele passa a ocupar um alto cargo na Justiça. A vida de Bibi no crime a tornará alvo de Jeiza, que a investigará e também se envolverá com Caio.

A personagem é inspirada na trajetória de Bibi Perigosa (Fabiana Escobar), casada com um traficante carioca. Juliana também repetirá parcerias: durante sua carreira, fez todas as novelas de Glória Perez, com exceção de Salve Jorge (2012-2013). Ainda fará novamente par romântico com Rodrigo Lombardi - juntos, viveram o casal Raj e Maya em Caminho das Índias e arrebataram o público. Agora, Juliana também contará com a parceria do jovem ator Emílio Dantas, que esteve em Além do Tempo. A talentosa atriz vem em uma crescente de bons papeis recentes: Catarina em Meu Pedacinho de Chão, Carolina em Totalmente Demais e Zana na segunda fase de Dois Irmãos. Bibi aparenta ser um tipo bastante popular e também pode render um bom desempenho de Juliana.

Outros destaques do clipe também são Lilia Cabral, que interpretará Silvana, uma mulher que vê seu casamento com Eurico (Humberto Martins) ruir por causa de seu vício em jogos; Débora Falabella, que viverá a vilã Irene, que irá seduzir Eugênio (Dan Stulbach) se aproveitando de seu casamento infeliz com Joyce (Maria Fernanda Cândido); e Carol Duarte, que representará um dos dramas mais promissores da novela: a história de Ivana, uma garota transgênero que, desde criança, é superproduzida pela mãe, contudo, à medida que cresce, descobre-se um homem no corpo de uma mulher. Outros bons nomes do elenco são Zezé Polessa como Edinalva (mãe de Ritinha), Tonico Pereira como Abel (pai de Zeca), Gisele Fróes como Cândida (mãe de Jeiza), e Elizângela, que volta à Globo após participar de A Terra Prometida (2016-17) na Record, interpretando Aurora, mãe de Bibi.

Um ponto negativo do clipe é o reaproveitamento de instrumentais. Vários temas utilizados em Além do Tempo (2015-2016), novela de Elizabeth Jhin dirigida por Papinha, reapareceram nas primeiras cenas do clipe. Outro instrumental, Amores Distantes, já utilizado em novelas como Morde & Assopra e Império (também do mesmo diretor), também deu o ar de sua graça. Isto se explica, provavelmente, pelo trabalho do mesmo produtor musical, Rodolpho Rebuzzi.

O videoclipe de A Força do Querer, assim como suas chamadas, deixou uma impressão positiva em boa parte de seus núcleos. Que isto se confirme com a estreia da novela, a partir desta segunda-feira, 3 de abril.







commentDeixe sua opinião
menu