Record, SBT e RedeTV! têm queda gigante no Ibope sem sinal analógico e TV paga em São Paulo



No primeiro dia sem sinal analógico em São Paulo e Região Metropolitana, a audiência de Record, SBT e RedeTV!, donas da joint-venture Simba Content, caiu significativamente em todos os quesitos.

Segundo levantamento feito pelo TV História, comparando entre quarta-feira, o último dia com sinal analógico, e quinta-feira, as três emissoras perderam de forma acentuada em dados, enquanto Globo e Band ganharam, mesmo que pouco.

A Globo subiu de 16,2 na quarta para 17,3 pontos na quinta, obtendo um ganho de 6,7%. Comparando com a quinta-feira da semana passada (23), com sinal analógico, a Globo subiu de 16,9 para 17,3, uma subida de 2,3%.

Já a Record foi disparada a que mais perdeu em pontos absolutos. Caiu de 8,1 na quarta para 5,2 na quinta, uma descida de 35% nos números. Em comparação quinta retrasada, queda grande também: de 7,8 para 5,2, revés de 33,3%.

O SBT também obteve perdas. Na quarta, marcou 6,6 pontos na média-dia. Quinta, teve 5,2, caindo 21% de um dia para o outro. Em relação à quinta anterior, houve uma queda de 10,3%. Na ocasião, a emissora de Silvio Santos fechou com 5,8.

A Band obteve bons ganhos. Na quarta, marcou 2,7 pontos. No dia seguinte, conseguiu 2,8, subindo 3,6%. Em comparação com a quinta retrasada, subida de 2,4 para 2,8 - ou um crescimento de 16,6%.

Por fim, a RedeTV! foi a que mais caiu percentualmente, já que não tem altos números. Na quarta, fechou com 0,9 ponto. Ontem, ficou com apenas 0,3 ponto, fechando a média dia quase o traço absoluto - queda percentual de 66,6%, ou quase dois terços do que tinha no dia anterior.

A maior audiência do dia foi do A Tarde é Sua, de Sônia Abrão, que fechou com apenas 1 ponto. Normalmente, o programa vespertino obtém médias de 2 a 2,5 pontos.

Comparando com a quarta retrasada, a queda também foi acentuada. A RedeTV! obteve no dia 23 de março 0,5 ponto contra 0,3 agora, uma descida de 40% nos números.

São dois os fatores que ajudam a explicar essa queda acentuada. A primeira: como o desligamento ocorreu com 92% de sinal digital cobrindo a Grande São Paulo, os outros 8% ainda estão se adaptando à nova realidade.

A segunda é que a saída das três emissoras das quatro maiores operadoras de TV paga do Brasil - Net, Sky, Claro e Oi - realmente influenciou muito na perda. Nenhum programa de Record e SBT obteve dois dígitos nos números, o que acende o sinal vermelho.

Depois de sonhar com R$ 15 por assinante das operadoras, a Simba já trabalha com valores mais modestos. A joint-venture gostaria de R$ 2,30 por assinante para dividir entre os três canais, conforme informou o jornalista Ricardo Feltrin, do UOL. A informação também foi confirmada por fontes do TV História.

No caso, a RecordTV e o SBT ficariam com R$ 1,00 por assinante, enquanto a RedeTV! ficaria com R$ 0,30. Se este valor for confirmado, a bagatela apenas na Grande São Paulo será bastante alta.

Contando atualmente com 7 milhões de assinantes, a Simba Content renderia apenas nesta região cerca de R$ 16,1 milhões por mês para a divisão. Por ano, serão exatos R$ 193,2 milhões, um altíssimo valor.

Só com isto, RecordTV e SBT ganhariam R$ 84 milhões por ano cada uma, enquanto a RedeTV! fecharia um ano com um valor de RS 24 milhões - isto apenas contando o valor da maior região metropolitana do Brasil.

O dinheiro que as emissoras ganharão com as negociações deverá ser aplicado na produção de conteúdo. Elo mais fraco da corda, a RedeTV! espera que essa joint-venture ajude o canal a diminuir os horários vendidos em sua grade - hoje em mais de 50% no total.

A Simba surgiu da necessidade dos canais de cobrarem pelo seu sinal na TV por assinatura. Segundo elas, Globo e Band recebem dinheiro pelo seu sinal e todas as outras não conseguem um centavo das maiores operadoras do Brasil.







commentDeixe sua opinião
menu