Polêmica: após se tornar evangélico, Ronaldo Ésper diz que deixou de ser homossexual



O estilista Ronaldo Ésper abriu as portas de sua casa para uma entrevista exclusiva com Daniela Albuquerque, apresentadora do Sensacional, da RedeTV! - a conversa vai ao ar neste domingo (26), às 16h30, no Sensacional.

Além de relembrar a carreira e justificar suas 'alfinetadas' nos looks dos famosos, ressaltando que "a agulhada não tem nada a ver com a pessoa, tem a ver com roupa que ela está vestindo", ele revela não ser mais homossexual.



"Depois de um período de crise muito grande, parti para outra direção na minha vida. Hoje não sou mais homossexual, por força da minha vontade, porque ninguém se cura disso", afirma ele, que diz ter encontrado na Igreja Universal o amparo que precisava. "Estou muito feliz de estar lá. Há alguns anos eu estava à beira do suicídio, se não tivesse sido acolhido da forma que fui, teria me matado", completou.

"Não gostaria de ter um filho homossexual, é muito duro. Nunca sofri discriminação, mas vejo agora na minha idade, o que eu sou? Um homem solitário e mais nada. Para onde te leva tudo isso?", dispara.

No bate-papo, Ronaldo Ésper também confessa ter se envolvido com um ministro na época da ditadura. "Era um admirador. Todos os ministros eram militares, tinha só cinco que não eram. Se você procurar na internet entre esses cinco, vai ver quem era. Fiquei com ele um período, mas ele não foi o amor da minha vida", adianta.

Ainda na entrevista, Ésper responde a perguntas do público sobre episódios polêmicos ao longo de sua carreira, como a prisão após tentar roubar dois vasos de um cemitério em São Paulo e ter ficado nu em público, além de revelar seu grande sonho: "apresentar um programa de calouros. Não teria seleção, não seriam calouros do Raul Gil, não, aquela coisa maquiada. No domingo, não sei aonde, a fila estaria ali e entrariam quantos dessem, sem inscrição nem nada".







commentDeixe sua opinião
menu