"Sem diálogo" com TV paga, Record, SBT e RedeTV! irão retirar seu sinal



A briga agora é para valer. Na tarde desta sexta-feira (24), a joint-venture Simba, formada pelas emissoras RecordTV, SBT e RedeTV!, anunciou a retirada de seus sinais digitais da TV por assinatura brasileira.

O comunicado tem sido passado nos principais programas da emissora e em comerciais. Nele, as emissoras alegam falta de diálogo entre as operadoras, que dizem que a mensalidade de TV paga ficará mais cara se passarem a pagar as três emissoras pelo seu sinal.

O sinal será retirado na Grande São Paulo no dia 29 de março, quando o desligamento analógico será realizado na cidade. Com ele, a imagem na TV paga destes canais deixa de ser gratuita, com os canais autorizando o sinal digital. Globo e Band permitiram, mas as outras três querem receber por isso, como a Globo já recebe de Net, Sky e Oi TV, por exemplo.

"Informamos que a partir do dia 29 de março, quando o sinal analógico de televisão será desligado em São Paulo, as emissoras RecordTV, SBT e RedeTV! deixarão de exibir simultaneamente suas programações nas operadoras pagas Net, Claro, Embratel e Sky. Estas empresas se recusam a negociar os direitos de transmissão com RecordTV, SBT e RedeTV!, ao contrário do que já fazem com grupos estrangeiros e até com outras emissoras nacionais", afirma parte do comunicado. "Juntas, RecordTV, SBT e RedeTV! detêm grande parte da audiência da TV aberta. Lamentamos a falta de diálogo das operadoras, o que impediu um acordo que respeitasse o desejo do público brasileiro", completa a empresa.

A Simba existe desde 2015, mas apenas em maio do ano passado seu funcionamento foi aprovado pelo CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). O funcionamento pleno começou no início deste ano.

A união já rende frutos impressionantes. Em fevereiro, Ratinho, Rodrigo Faro e Luciana Gimenez, três das maiores estrelas das emissoras da joint-venture, se uniram para anunciar o fim da TV analógica em comerciais.

A Simba surgiu da necessidade dos canais de cobrarem pelo seu sinal na TV por assinatura. Segundo elas, a Globo recebe dinheiro pelo seu sinal e todas as outras não conseguem um centavo das maiores operadoras do Brasil.

A expectativa é que cerca de R$ 280 milhões, apenas com as assinaturas, cheguem aos cofres dos canais se todo o plano pretendido for seguido à risca.

Esse dinheiro deve ser aplicado na produção de conteúdo. Elo mais fraco da corda, a RedeTV! espera que essa joint-venture ajude o canal a diminuir os horários vendidos em sua grade - hoje em mais de 50% no total.







commentDeixe sua opinião
menu