Rumores aumentam, mas Ratinho segue negando que comprará afiliada do SBT em MG


Durante toda esta quinta-feira (17), a TV Alterosa, afiliada do SBT em Minas Gerais, ficou em polvorosa por conta de uma informação que vazou: o apresentador Carlos Massa, o Ratinho, havia acertado a compra da emissora.



Segundo informações obtidas pelo TV História, os rumores diziam que Ratinho havia fechado todos os detalhes do contrato de compra nos últimos dois dias e iria novamente para Belo Horizonte em 25 de março para fechar o negócio.

Mesmo sem qualquer confirmação oficial, a informação correu e animou os funcionários da TV Alterosa, que veem na venda da emissora um grande negócio para seus empregos e para a própria TV, afundada numa crise sem precedentes.

Hoje, o valor de mercado da TV Alterosa é de cerca de R$ 18 milhões, contando todas as suas emissoras por todo o Estado de Minas Gerais - Belo Horizonte, Varginha, Divinópolis, Governador Valadares e Juiz de Fora.

A ideia de Ratinho seria realizar um projeto parecido com o que está fazendo na Rede Massa, também afiliada do SBT, no Paraná. No interior do Estado, em cidades como Foz do Iguaçu, o canal local do apresentador chega a ser líder de audiência.

No entanto, o TV História foi atrás do outro lado para confirmar os rumores. Consultamos fontes próximas a ele, que negaram, com veemência, que Ratinho esteja interessado em comprar a TV Alterosa. Além disso, a reportagem consultou oficialmente o staff do apresentador, que também negou o negócio.

Ao ouvirem a negativa de Ratinho à nossa reportagem, profissionais da Alterosa, que preferem não se identificar, afirmam que isto poderia ser uma tática do grupo Diários Associados para instigar possíveis interessados na compra da TV.

De fato, Ratinho chegou a se interessar pela Alterosa em algum momento, principalmente no início de 2016, mas, em fevereiro do ano passado, desistiu do negócio por motivos desconhecidos.

A TV Alterosa vive uma grave crise desde 2015. Em dezembro daquele ano, os funcionários decidiram parar as atividades por duas vezes ao dia, em forma de protesto por salários atrasados.



Outra paralisação aconteceu no primeiro semestre de 2016, quando funcionários fizeram protestos contra a falta de solução da empresa em relação a direitos trabalhistas.

Segundo o Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais afirmou em comunicado na época, a Alterosa não deposita o FGTS dos seus empregados há pelos menos dois anos, o que tem causado mais revolta ainda.

Vamos continuar acompanhando os próximos capítulos dessa história.


Deixe sua opinião


Leia também