Diferente da rede, jornalismo do SBT no Rio de Janeiro vive auge nos números de audiência



Em todo o Brasil, a RecordTV vive um auge curioso em audiência local. Em cidades como Salvador, Goiânia, Belo Horizonte, Brasília e Belém, seus programas regionais marcam recordes absolutos. A única exceção, atualmente, é o Rio de Janeiro.



Se, em todo o País, o SBT pena para tentar chegar perto da sua concorrente em jornalismo local, na capital fluminense é absolutamente diferente. Desde o fim do ano passado, o SBT Rio de Janeiro vive o auge em audiência contra a RecordTV Rio, vencendo nas duas faixas de jornalístico local que tem.

O SBT Rio Manhã, apresentado por Liane Borges, recentemente ganhou mais tempo no ar - 15 minutos, passando a ser exibido das 7h às 7h45, justamente por causa dos bons resultados que vinha tendo.

Antes do aumento, o programa já vencia o Balanço Geral Manhã, apresentado por Luiz Bacci. Agora, consegue também se impor contra o RJ no Ar, ancorado por Gustavo Marques.

A média atual do telejornal matinal da emissora de Silvio Santos é de 3,3 pontos, contra 3,2 da RecordTV. A Globo ainda lidera nesta faixa, com 12,4 pontos de audiência.

Na faixa do meio-dia, um fenômeno. Apresentado por Isabele Benito, o SBT Rio virou uma das maiores audiências da emissora. No mês de fevereiro inteiro, o telejornal foi o quinto maior Ibope da casa, com 8 pontos de média.

No geral, o telejornal local perdeu apenas para quatro programas de rede na semana passada: Programa Silvio Santos, Programa do Ratinho, A Praça é Nossa e a novela Carinha de Anjo.

Nesta última segunda-feira (13), o SBT Rio e Isabele Benito bateram recorde de audiência. Foram 9 pontos de média com picos de 10 e share de 19,2% de share. Desde 2012, mais exatamente de fevereiro daquele ano, que o SBT Rio não ia tão bem.

Além disso, outros programas locais da TV estão em grande fase. Mesmo não sendo segundo lugar, o SBT Esporte Rio tem marcado média de 7 pontos, e ficado apenas um atrás da RecordTV, que normalmente marca 8.

Comandado por José Carlos Araújo, o Garotinho, Gérson, o Canhotinha de Ouro, Gilson Ricardo e Fernanda Maia, o programa recentemente ganhou um novo e mais belo cenário.



No fim de semana, o outro esportivo da casa, o Esporte Mágico, também comandado por José Carlos Araújo, faz bonito desde a estreia. Exibido aos sábados, não perdeu em nenhum mês para a RecordTV desde que começou sua veiculação. Em fevereiro, foram 5 pontos contra 3 da concorrente.

O principal motivo da grande fase é algo que a rede, em São Paulo, parece não enxergar, fazendo a filial carioca ser a "diferentona" em todo o Brasil: investimento massivo, mesmo que com pouca verba, num projeto de programação local, que também ajude a alavancar toda a emissora.

As afiliadas do SBT não conseguem dar andamento em projetos locais. Em Salvador, por exemplo, não existe jornal matinal na TV Aratu, bem como em Belém, Porto Alegre, Brasília, Belém, dentre outras.

O trabalho colhido hoje no SBT é feito desde 2013, comandado por Diego Sangermano, e, aos poucos, acabou crescendo, chegando ao patamar onde está atualmente. A RecordTV tentou intervir na subida, com mudança de apresentação em telejornais e visuais mais modernos - usando o RecNov, complexo de novelas da emissora, mas o efeito ainda não foi esperado.

Os dados citados acima refletem a preferência de um seleto grupo de telespectadores na Grande Rio de Janeiro e Baixada Fluminense.

Leia também: Ao mexer drasticamente no jornalismo do SBT, Silvio Santos comete mesmos erros de 20 anos atrás

Leia também: SBT registra nome Marcão do Povo em instituto oficial de marcas




commentDeixe sua opinião
menu