23 de janeiro na história da TV: em 2004, terminava Kubanacan


Confira os destaques do dia 23 de janeiro na história da televisão brasileira:

No dia 23 de janeiro de 1973, terminava a primeira versão da novela Selva de Pedra (Globo).

De Janete Clair, a trama mostrava um jovem ambicioso, Cristiano Vilhena (Francisco Cuoco), fazendo de tudo para se dar bem na cidade grande - a ponto de, inclusive, consentir com um atentado contra a mulher, Simone (Regina Duarte), para casar-se com a milionária Fernanda (Dina Sfat). Arrependido, ele foge do altar, tornando-se alvo da vingança da esposa que não morreu e da amante abandonada.



No dia 23 de janeiro de 1973, terminava a novela O Bofe (Globo).

A obra, com autoria de Bráulio Pedroso e Lauro César Muniz, mostrava diferentes tipos caricatos, fazendo uma grande crítica social relativa ao período. Com Jardel Filho, Cláudio Marzo e Betty Faria. Destaque para Ziembinski, vivendo Stanislava, primeiro personagem travestido da história da telenovela no Brasil. Também a estreia de José Lewgoy na TV; já José Wilker, insatisfeito, pediu para deixar a produção.



No dia 23 de janeiro de 2004, terminava a novela Kubanacan (Globo).

Escrita por Carlos Lombardi, a novela se passava em uma fictícia ilha do Caribe e trazia à frente do enredo o pescador Esteban (Marcos Pasquim), tentando descobrir detalhes de seu misterioso passado. Com Adriana Esteves, Vladimir Brichta, Carolina Ferraz, Danielle Winits, Humberto Martins, Betty Lago e Nair Bello. A comédia foi notificada pelo Ministério da Justiça por causa do excesso de violência.



No dia 23 de janeiro de 2006, estreava a novela Floribella 2 (Band).

Segunda temporada da trama, inspirada em original argentino, com texto de Jaqueline Vargas e Patrícia Moretzsohn. Aqui, a babá Flor (Juliana Silveira) - após ter seu primeiro namorado dado como morto - se envolve com Conde Máximo (Mário Frias), tutor das crianças que a jovem aspirante a cantora cuidava. Para diferenciar esta fase da anterior, a Band repaginou a comunicação visual: ao invés de flores, corações.



No dia 23 de janeiro de 2015, terminava a reapresentação de Cobras & Lagartos (2006) em Vale a Pena Ver de Novo (Globo).

Apesar do sucesso às 19h, Cobras & Lagartos demorou a voltar ao ar na faixa vespertina. Talvez isso explique o desempenho pífio da trama de João Emanuel Carneiro no 'Vale a Pena', com apenas 12,3 de média final. Foram 130 capítulos, ante 179 do original, com as desventuras de Duda (Daniel Oliveira), Bel (Mariana Ximenes) e dos aloprados Foguinho (Lázaro Ramos) e Ellen (Taís Araújo).


Deixe sua opinião


Leia também