18 de dezembro na história da TV: em 2009, terminava Geraldo Brasil


Confira os destaques do dia 18 de dezembro na história da televisão brasileira:

No dia 18 de dezembro de 1967, às 20h, estreava a novela Sangue e Areia (Globo).

Escrita por Janete Clair, esta foi a primeira produção do casal de atores Tarcísio Meira e Glória Menezes, vindo da Excelsior, na emissora. O folhetim ficou marcado por atritos nos bastidores: o sucesso de Sangue e Areia "melindrou" Glória Magadan, supervisora de teledramaturgia do canal, que exigiu que Daniel Filho, o diretor, passasse a se dedicar apenas à sua novela, O Homem Proibido (que estreou no mesmo dia). O ator Amilton Fernandes, que vivia Ricardo, morreu durante as gravações, após um acidente automobilístico e 70 dias de internação.



No dia 18 de dezembro de 1967, às 21h30, estreava a novela O Homem Proibido (1967) (Globo).

Com Carlos Alberto, Yoná Magalhães e Mário Lago no elenco, esta novela de Glória Magadan mostrava a luta pelo poder em um reino da Índia (reproduzida em cenários construídos no terraço da emissora). Em São Paulo e outras localidades, o título foi alterado para Demian, o Justiceiro. Foi Boni, então todo-poderoso da emissora, quem solicitou a mudança do nome e sugeriu a veiculação em horários mais cedo, como o das 19h30, mirando o público jovem, por se tratar de uma novela "leve, de aventura".



No dia 18 de dezembro de 1971, terminava o programa Moacyr Franco Especial (Globo).

O multimídia Moacyr Franco comandava esta atração de variedades, veiculada mensalmente dentro da faixa Sexta Nobre. Números musicais, esquetes de humor e entrevistas - com celebridades como Chacrinha - faziam parte do programa. O 'Especial' marcou a estreia de Moacyr na Globo, após dez anos como contratado da Excelsior. Nos anos seguintes, ele ainda esteve à frente de Moacyr Franco Show (1972) e Moacyr na TV (1976).



No dia 18 de dezembro de 1998, terminava a minissérie Labirinto (Globo).

De autoria de Gilberto Braga, este enredo policial mostrava tramas permeadas por intrigas financeiras e prostituição. Em cena, Fábio Assunção como André, acusado de assassinar o empresário Otacílio Martins Fraga (Paulo José). Testemunhas do crime, Ricardo (Antonio Fagundes) e Leonor (Betty Faria), amantes, sócio e esposa da vítima, confabulam para manter André entre os suspeitos. A favor do rapaz, a garota de programa Paula Lee (Malu Mader) e Virgínia (Luana Piovani), noiva de Júnior (Marcelo Serrado), filho de Otacílio, verdadeiro culpado pelo homicídio.



No dia 18 de dezembro de 2001, terminava a novela Pícara Sonhadora (SBT).

Adaptação de uma trama mexicana, a obra trazia Bianca Rinaldi vivendo uma moça sonhadora, que lutava para vencer na vida. Mila, a personagem em questão, dividia com o tio Camilo (Serafim Gonzales) e a amiga Rosa (Marcela Muniz), mãe solteira, um quartinho nos fundos da loja Solis, de propriedade de Marcelina Rockfield (Maria Estela). O neto desta, Alfredo (Petrônio Gontijo), se faz passar por balconista para conquistar Mila. Boa produção, de cenários precários, que serviu para reabrir o departamento de teledramaturgia do SBT, inativo desde 1998.



No dia 18 de dezembro de 2005, estreava o programa infantil Clara e o Chuveiro do Tempo (Globo).

Exibido em quatro domingos, o especial mostrava as aventuras da menina Clara (Bianca Salgueiro), que tentava trazer seu avô de volta ao presente. O amalucado Vô Teodoro (Flávio Migliaccio) partiu ao encontro de Napoleão Bonaparte (Osmar Prado), através de seu chuveiro do tempo, na tentativa de impedir que a neta fosse reprovada em história no colégio. Ao longo da história, Clara, com o auxílio de Vó Bila (Eva Wilma), resgata outras figuras históricas enquanto busca por Teodoro.



No dia 18 de dezembro de 2008, terminava a série Casos e Acasos (Globo).

Escrito por Daniel Adjafre e Marcius Melhem, o programa trazia três histórias diferentes a cada episódio, que se entrelaçavam nos momentos finais. Participaram do último episódio - O Papai Noel, a Perna Quebrada e o Presépio - Paolla Oliveira, Emílio Orciollo Netto, Carol Machado, Carlos Vereza, Bruno Mazzeo e Bia Seidl. Após o término, Casos e Acasos foi reprisado no Canal VIVA em 2010.



No dia 18 de dezembro de 2009, terminava o programa Geraldo Brasil (Record).

Atração apresentada por Geraldo Luís, tinha foco no jornalismo e no entretenimento, trazendo casos polêmicos e coberturas de assuntos do momento. Criado para levantar a audiência da faixa vespertina, Geraldo Brasil patinou, apelando para formatos diferentes, de boletins diários de A Fazenda (em sua primeira edição) a pautas similares a do Casos de Família (SBT). Em 2016, o título foi reaproveitado numa faixa de reprises de matérias de Geraldo Luís para seu atual programa, Domingo Show.



No dia 18 de dezembro de 2009, terminava a minissérie Cinquentinha (Globo).

Antes de morrer, Daniel (José Wilker) prepara uma "cilada" para suas três ex-mulheres: Lara (Susana Vieira), Mariana (Marília Gabriela) e Rejane (Betty Lago) terão de se unir para cuidar dos negócios do falecido; aquela que se sair melhor, leva 50% da herança. Eis que surge Leonor (Maria Padilha), a última esposa, reivindicando seu quinhão. No último capítulo, as três protagonistas desistem do desafio, deixando o problema nas mãos de seus filhos e netos. Texto de Aguinaldo Silva e Maria Elisa Berredo, com direção de núcleo de Wolf Maya.



No dia 18 de dezembro de 2016, estreava a série A Cara do Pai (Globo).

Dominical baseado em ideia original de Paulo Cursino e Leandro Hassum, o protagonista Théo. O comediante precisa lidar com os dilemas de sua filha pré-adolescente, Duda (Mel Maia), e as discussões com sua ex-esposa Sílvia (Alessandra Maestrini), mãe da menina; o novo namorado desta, Ricardo (Thiago Rodrigues); as confusões do pai Aldair (Walter Breda); e a ex-namorada, sua vizinha de porta, Joana (Cristiana Pompeo). Pietra Hassum, filha de Leandro, também participa, como Alice.


Deixe sua opinião


Leia também