6 de dezembro na história da TV: em 2004, estreava Esmeralda



No dia 6 de dezembro de 1965, estreava a novela Mãos ao Ar (Record).

Quarta e última novela humorística da emissora; desta vez, satirizando filmes do Velho Oeste. No elenco, Ronald Golias, interpretando três personagens - dentre eles, Carlo Bronco Dinossauro, tipo que o consagrou em humorísticos como Família Trapo (1967) e Bronco (1987). Ainda, Carmem Verônica, Jô Soares, Otelo Zeloni, Rony Rios e Viana Júnior; os dois últimos, Velha Surda e Apolônio, de A Praça é Nossa (1987).

No dia 6 de dezembro de 1965, estreava a novela O Tirano (Cultura).

Último produção do núcleo das 18h30, que contou com quatro novelas - além de 'Tirano', Escrava do Silêncio, As Professorinhas e O Moço Loiro. Em cena, um homem retrógrado e autoritário, que não aceita a vocação do filho para as artes. No elenco, Roberto Orosco, Edy Cerri e Rubens Campos, que faleceu no decorrer da produção. O "homem do sapato branco" Jacinto Figueira Jr também participou do folhetim.

No dia 6 de dezembro de 1969, estreava o programa A Casa é Sua (Globo).

Programa de entretenimento exibido nas noites de sábado e que durou somente até fevereiro de 1970. Dentre os quadros, musicais e distribuição de prêmios. O título foi reaproveitado pela RedeTV!, anos depois, em um feminino comandado por nomes como Valéria Monteiro, Sônia Abrão, Leonor Corrêa e Clodovil Hernandes.

No dia 6 de dezembro de 1972, estreava o programa Globo de Ouro (Globo).

Parada musical da emissora, exibida até 1990, que teve diversos formatos e apresentadores. O programa foi mensal e depois semanal, com exibições nas quartas-feiras, sextas-feiras e domingos. A estreia, inclusive, foi transmitida ao vivo (e com o subtítulo A Super Parada Mensal). Um dos períodos mais lembrados da atração é o apresentado por César Filho - com Cláudia Abreu, Cláudia Raia ou Isabela Garcia. Estes episódios são constantemente reapresentados no Canal VIVA.



No dia 6 de dezembro de 1977, estreava a primeira versão da novela O Astro (Globo).

Um dos grandes sucessos da história da emissora, a novela das oito de Janete Clair tinha Francisco Cuoco como protagonista. Em cena, o "bruxo" Herculano Quintanilha (Cuoco), que se infiltra no conglomerado de empresas de Salomão Hayala (Dionísio Azevedo) - cujo assassinato, e a descoberta do criminoso, mobilizou o país. No elenco, Dina Sfat, Elizabeth Savala e Tony Ramos. Ganhou remake em 2011.



No dia 6 de dezembro de 1982, estreava o programa Olho Vivo (Band).

Atração da faixa A Sorte é Sua, implementada nas tardes da Bandeirantes, de segunda-feira a sábado. Dois participantes buscavam respostas para perguntas do apresentador, Ewerton de Castro, em um painel, numa espécie de "jogo da memória". Aquele que cometesse mais erros, passava o posto para outro candidato.

No dia 6 de dezembro de 1982, estreava o programa Familionária (Band).

Outro integrante da faixa A Sorte é Sua, exibido na sequência do Olho Vivo. Aqui, também um ator no comando: Jonas Bloch, egresso dos folhetins globais. Familionária era baseado no formato do Family Feud, dos Estados Unidos. Silvio Santos, que já havia produzido o game em 1979, o readquiriu em 2005, usando o título original.

No dia 6 de dezembro de 1982, estreava o programa Tic Tac Milhões (Band).

A última atração da faixa A Sorte é Sua, no ar de segunda-feira a sábado, entrava no ar às 18h, após Olho Vivo (17h) e Familionária (17h30). O programa apresentava jogos que formavam uma escalada de prêmios rumo ao automóvel zero quilômetro. Tinha apresentação de Paulo Giovanni.



No dia 6 de dezembro de 1982, estreava a novela Campeão (Band).

O ator Marcos Caruso dividia o roteiro desta trama com Jaime Camargo; Roberto Talma, recém-saído da Globo, respondia pela supervisão. O foco estava na família do garoto Flávio (Alexandre Raymundo), cujo melhor amigo é o cavalo Panambi. Os pais do garoto, Jorge (Rubens de Falco) e Alexandra (Maria Estela), vivem em crise; a mãe da moça, Helena (Cleyde Yaconis), tenta resolver os conflitos da família.



No dia 6 de dezembro de 1994, estreava a novela As Pupilas do Senhor Reitor (SBT).

Outro grande sucesso do SBT nos anos 1990, 'Pupilas' reunia nomes como Juca de Oliveira, Débora Bloch, Luciana Braga, Eduardo Moscovis e Tuca Andrada, dentre outros. Remake de novela de Lauro César Muniz, baseada na obra de Júlio Dinis, apresentada pela Record entre 1970 e 1971. A produção ganhou reprise em 2006, às 19h; o SBT a retirou do ar após quatro capítulos, alegando com problemas com direitos musicais. No ano seguinte, enfim, o repeteco, todo início de tarde (15h).



No dia 6 de dezembro de 1996, terminava a novela Razão de Viver (SBT).

Trama estrelada por Irene Ravache, baseada em Meus Filhos, Minha Vida (1984). Obteve baixa audiência, em parte por conta da negligência da emissora, Razão de Viver mudou de horário, continuando sem chamar atenção do público. A trama contava ainda com Gabriel Braga Nunes, Petrônio Gontijo, Joana Fomm, Mayara Magri, Fúlvio Stefanini, Lolita Rodrigues, Gianfrancesco Guarnieri e o então casal Adriana Esteves e Marco Ricca, revivendo na ficção o par romântico da "vida real".



No dia 6 de dezembro de 2004, estreava a novela Esmeralda (SBT).

Mais uma novela estrangeira adaptada pela emissora - a oitava do ciclo 2001-2007 de coproduções com a Televisa. Foi um dos maiores destaques do canal nesta safra, em parte por conta da química do casal protagonista, Bianca Castanho (Esmeralda) e Cláudio Lins (José Armando). Destaque também para Antônio Petrin (Sabiá), Daniel Andrade (Adrian), Karina Barum (Graziela), Lucinha Lins (Branca), Manoelita Lustosa (Rosário), Olivetti Herrera (Dr. Álvaro) e Tânia Bondezan (Fátima).



No dia 6 de dezembro de 2007, terminava o jornalístico Linha Direta (Globo).

Programa inicialmente apresentado por Marcelo Rezende, que, quando deixou a emissora, passou o bastão para Domingos Meirelles. Através da reconstituição de crimes não solucionados, incentivava os telespectadores a fornecer pistas que ajudassem na captura de bandidos. A Globo já havia exibido uma primeira versão do programa em 1990, com apresentação de Hélio Costa.

Leia também: 5 de dezembro na história da TV: em 1977, último capítulo de Espelho Mágico

Leia também: 4 de dezembro na história da TV: em 2009, terminava Ó Paí, Ó




commentDeixe sua opinião
menu