O ratinho que foi a maior estrela da Globo: relembre tudo sobre Topo Gigio


Um dos maiores ícones infantis de todos os tempos, Topo Gigio marcou época no Brasil e no mundo. A seguir, conheça a carreira do personagem!



O ratinho foi criado em 1958, na Itália. Surgindo das mãos da artista Maria Perego, o meigo boneco fez sua primeira aparição televisiva no ano seguinte, no programa Alta Fedeltà. Sua personalidade agradava aos pais, trazendo sempre conselhos para que crianças aprendessem conceitos como respeito, educação e boa convivência, além de ensinar os espectadores a rezar.

O personagem era manipulado por quatro pessoas, tendo 25 centímetros de altura e inovando em seus movimentos, uma vez que o comum era que personagens fossem mais rígidos, sendo interpretados por apenas um manipulador.

Assim, Topo Gigio foi se tornando figura famosa em diversas atrações da TV italiana, como Storie di topo Gigio, Carosello e também em filmes, como Le avventure di Topo Gigio. Além disso, o mascote também ganhou animações, como o anime Bentornato Topo Gigio, co-produção Itália e Japão. Em uma tradição que continua até hoje, Topo Gigio passou também a fazer participações em festivais de música, competições recorrentes na televisão italiana.

Mas o passo fundamental para o estrelato mundial foi o tradicional The Ed Sullivan Show, famoso programa de auditório transmitido pela CBS entre os anos de 1948 e 1971. Na atração, o boneco estreou em 1962, se tornando um fenômeno nos Estados Unidos.



Outro ícone da televisão a contracenar com o ratinho foi Roberto Gómez Bolaños, no ano de 1979. Interpretando o Doutor Chapatin, o mexicano recebeu o mascote em seu programa:



No Brasil, sua primeira aparição foi no programa Mister Show, exibido pela Globo a partir de 1969, em um projeto de Boni e Walter Clark. Estreando no dia 9 de maio aquele ano, era dublado pelo italiano Pepino Mazzuullo, que não sabia português e decorava as frases a serem ditas apenas de maneira fonética.

Dividindo o palco com o humorista Agildo Ribeiro, fez grande sucesso, transformando seu parceiro em uma grande celebridade. Com a atração sendo exibida em horário nobre (quintas-feiras, às 20h30), começava uma grande mania nacional, com o ratinho sendo visto em uma infinidade de produtos licenciados, como bonecos, roupas e revistas. Naquela época, o ratinho ainda contracenava com outra grande estrela: Regina Duarte, então considerada a namoradinha do Brasil.



Na atração global, o boneco também ganhou uma nova companheira, a ratinha Rose, sua namorada. Topo Gigio também fez muito sucesso na indústria fonográfica, uma vez que sempre cantava e dançava em suas aparições. Naquele mesmo ano de 1969, um compacto duplo foi recorde de vendas, trazendo o ratinho cantando a música 'Meu Limão, Meu Limoeiro':



Já em 1970, outro apresentador assumiu o Mister Show, passando a contracenar com o boneco: Luiz Carlos Miele. No ano seguinte, o personagem sairia do ar. Em seu último episódio, o rato se despediu do Brasil, indo embora com malas em mãos, o que deixou grande saudade no público.

Em 1983, o rato ressurgiu no programa Boa Noite, Amiguinhos, produzido pela Bandeirantes. Embora não tenha tido muita repercussão, essa fase é lembrada pelo fato de que a atração também trazia os bonecos da Turma da Fofura, criação do desenhista Ely Barbosa.

Então, em 1987, a Band investiu de novo no mascote. Nesta versão, o ratinho contracenava com o ator Ricardo Petraglia, chamado de Dick Petra. Seguindo a tradição, o boneco trazia lições de ecologia, higiene e cidadania, entre outros temas. Nesta fase, o boneco era dublado por Cassiano Ricardo e manipulado por Laert Sarrumor. Em seus textos, o personagem citava personalidades da época, como Ronald Reagan e Mikhail Gorbachev.



Aproveitando o sucesso, em 1989 a emissora também produziu um filme com o ratinho, disponibilizado em VHS: Topo Gigio - No Castelo do Conde Drácula. Acompanhado pela atriz Samantha Monteiro, o boneco viajava no tempo e conhecia o temido Conde Drácula.

Em 1992, Topo Gigio contracenou com Xuxa, durante a investida da apresentadora no mercado televisivo da Espanha. O ratinho participava da versão espanhola do Xuxa Park, exibida pela Tele 5.



No ano de 2000, a Globo tentou trazer o personagem de volta. O projeto era colocar Topo Gigio no elenco do humorístico Zorra Total, ideia que não foi concretizada devido aos altos custos de licenciamento do boneco.

Em 2014, a empresa brasileira Sato Company comprou os direitos de representação do personagem e anunciou que tentaria emplacá-lo novamente na TV, algo que não foi concretizado até agora.

Um ano depois, em 2015, o mascote foi homenageado por outro rato famoso, sendo alvo de uma reportagem do Programa do Ratinho.



Ao longo de seus 57 anos de história, Topo Gigio se tornou um grande ícone mundial, fazendo sucesso não só na Itália, Estados Unidos, México, Espanha e Brasil, mas também em dezenas de outros países, como Chile, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Equador, Guatemala, Japão, Nicarágua, Honduras, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal e Romênia.


Deixe sua opinião


Leia também