21 de novembro na história da TV: em 2006, estreava Vidas Opostas



Confira os destaques do dia 21 de novembro na história da televisão brasileira:

No dia 21 de novembro de 1984, estreava a minissérie Santa Marta Fabril (Manchete).

Baseada na peça teatral de Abílio Pereira de Almeida, Santa Marta Fabril levou Geraldo Vietri de volta à jornada dupla de autor e diretor. À frente do elenco desta produção, Nathalia Timberg como a matriarca Dona Marta, que une a família em prol da continuidade dos trabalhos de sua fábrica de tecidos. Ainda: Adriano Reys, Ana Rosa, Buza Ferraz, Ewerton de Castro, Fernando Eiras, Jonas Bloch, Leonardo Villar, Lúcia Veríssimo, Paulo Ramos, Sônia Clara, Sura Berditchevsky e Tetê Medina.



No dia 21 de novembro de 1988, estreava a novela Vida Nova (Globo).

A trama de Benedito Ruy Barbosa, dirigida por Luiz Fernando Carvalho e Reynaldo Boury, destacava o convívio de imigrantes, sobretudo italianos, num cortiço paulista do bairro do Bixiga, na década de 1940. Também a história de amor do português Manoel Vitor (Lauro Corona em sua última novela), apaixonado por Ruth (Deborah Evelyn), judia prometida a Israel (Paulo Castelli). E os conflitos de Lalá (Yoná Magalhães), ex-prostituta que tenta esconder da filha o seu passado de "vida fácil".



No dia 21 de novembro de 1999, estreava o esportivo Bola na Rede (RedeTV!).

Inicialmente, a atração era comandada pelo jornalista Juca Kfouri, auxiliado pela atriz Angelita Feijó. A intenção era debater todos os esportes sem a presença de jogadores ou técnicos, comuns em outras atrações do gênero. Posteriormente, teve outros formatos, com comando de Roberto Avallone, Fernando Vannucci (foto), entre outros. Saiu do ar em 2010, mas voltou em 2011, sendo exibido, atualmente, nas madrugadas de domingo para segunda. Fernando Fontana responde pela apresentação.



No dia 21 de novembro de 1999, estreava o jornalístico Leitura Dinâmica (RedeTV!).

Telejornal inovador exibido pela RedeTV!, inicialmente com apresentação de Milton Jung, então locutor esportivo do canal. A princípio, propunha resumir os principais acontecimentos da semana, contando com as análises de Daniel Piza. Em outubro de 2001, passou a ser diário, já tendo sido apresentado por diversas jornalistas, como Rita Lisauskas, Cláudia Barthel, Renata Maranhão e Érica Reis (foto), atual ocupante do posto. Já chegou a ter uma edição matutina, entre 2008 e 2012.



No dia 21 de novembro de 2006, estreava a novela Vidas Opostas (Record).

A trama de Marcílio Moraes mostrava o amor entre o milionário Miguel (Léo Rosa) e a humilde Joana (Maytê Piragibe), que morava numa comunidade no Rio de Janeiro. A novela fez sucesso e chegou a ultrapassar a audiência da Globo, alcançando a liderança em determinados capítulos. Destaque para as interpretações de Heitor Martinez (Jackson), Lavínia Vlasak (Erínia) e Marcelo Serrado (Nogueira). E para a trilha sonora, toda com composições de Chico Buarque, na voz de vários intérpretes.



No dia 21 de novembro de 2011, estreava o programa Marcas da Vida (Record).

Em Marcas da Vida, uma jornalista fictícia, vivida por Maga Bianchi, mostrava histórias que eram encenadas por atores. Após a exibição dessas cenas, especialistas de verdade orientavam o público sobre cada tema a ser explorado. O formato, conhecido como docudrama, era produzido pela FremantleMedia. Após dois meses como programa solo, deixou a grade, regressando como quadro do Programa da Tarde, em 2012. O sucesso, contudo, não veio.



No dia 21 de novembro de 2014, estreava o programa The Bachelor: Em Busca do Grande Amor (RedeTV!).

Reality show apresentado por Fábio Arruda, que não obteve grande repercussão e se viu envolvido em polêmicas acerca de sua autenticidade. A ideia básica era encontrar uma namorada para o italiano Gianluca Perino, que, no final, escolheu Aane Doux como pretendente. A modelo processou a RedeTV! por descumprimento de contrato, em julho deste ano, alegando que teria sido prometido à ela vínculo de apresentadora ou repórter. E afirmando que Giancarlo não estava solteiro durante as gravações.



No dia 21 de novembro de 2016, estreava a novela Carinha de Anjo (SBT).

Mais uma produção da faixa destinada à teledramaturgia infantil do SBT. A novela, que caminha para ser uma das mais longas da televisão brasileira, é baseada em um texto mexicano, que deu origem a Papai Coração, exibida na década de 1970, na Tupi. O enredo traz as confusões de Dulce Maria (Lorena Queiróz), interna de um colégio de freiras, que conversa com a mãe já falecida, Tereza (Lucero), ao mesmo tempo em que tenta unir o pai Gustavo (Carlo Porto) à noviça Cecília (Bia Arantes).

Leia também: 20 de novembro na história da TV: em 2006, a estreia de Pé na Jaca

Leia também: 19 de novembro na história da TV: em 2004, último capítulo de Cabocla




commentDeixe sua opinião
menu