26 de março na história da TV: em 2012, estreava Avenida Brasil


Confira os destaques do dia 26 de março na história da televisão brasileira:

No dia 26 de março de 1970, estreava o humorístico Chico Anysio Especial (Globo).

No ar nas últimas quintas-feiras de cada mês, Chico Anysio Especial era todo gravado em externas. O comediante contava cerca de 60 piadas, encenadas em cenários diversos, como uma praia ou um campo de futebol. Estreia do ano anterior, o programa foi reprisado entre setembro de 1970 e agosto de 1971, quando foi transferido para a recém-criada faixa Sexta-feira, Horário Nobre.

No dia 26 de março de 1973, estreava a novela A Volta de Beto Rockefeller (Tupi).

Após três anos longe da família, Beto (Luís Gustavo) regressava ao lar e retomava os esforços para se reaproximar das altas rodas. Bráulio Pedroso assinava o texto, assim como em 1968; takes da primeira produção estrelada pelo bicão, aliás, foram utilizados para ilustrar algumas passagens da vida do protagonista. Contudo, o sucesso não veio. 'A Volta' foi a primeira novela da Tupi a ganhar cor.



No dia 26 de março de 1973, estreava a novela Mulheres de Areia (Tupi).

De autoria de Ivani Ribeiro, a obra mostrava a difícil relação entre duas irmãs gêmeas, Ruth e Raquel, vividas por Eva Wilma. Ambas se interessam por Marcos Assunção (Carlos Zara); Ruth, por amor, e Raquel, por dinheiro. Um grande sucesso dos anos 1970, 'Mulheres' ganhou reedição na Globo, exatos vinte anos depois. Também no elenco Antônio Fagundes, Gianfrancesco Guarnieri e Maria Isabel de Lizandra.



No dia 26 de março de 1976, estreava o humorístico Sandra & Miele (Globo).

A parceria bem-sucedida da atriz Sandra Bréa e do multimídia Luiz Carlos Miele no teatro foi levada para a televisão, por iniciativa do diretor Augusto César Vannucci. Músicas e esquetes cômicas sobre o relacionamento homem x mulher ocupavam boa parte do programa, exibido na faixa Sexta Super - que também abrigava o Globo de Ouro (1972) e o Brasil Especial (1976). O último programa celebrou o réveillon.



No dia 26 de março de 1982, terminava a novela Brilhante (Globo).

Trama de Gilberto Braga para o horário das 20h, que enfrentou problemas estruturais e com a Censura Federal, que proibiu o uso da palavra "homossexual". Desta forma, Luiza (Vera Fischer), coagida por Chica Newman (Fernanda Montenegro) a casar-se por conveniência com seu filho Inácio (Dennis Carvalho), se referia à orientação do rapaz como "problemas sexuais".



No dia 26 de março de 1989, estreava o programa Domingão do Faustão (Globo).

Fausto Silva, com passagens por Gazeta, Record TV e Band, foi a arma da Globo para combater a grade dominical do SBT - então dominada por Silvio Santos. Dos quadros da estreia, apenas as 'Videocassetadas' seguem no ar. Ao longo dos anos, formatos como 'Arquivo Confidencial', 'Dança dos Famosos', 'Jogo da Velha', 'Olímpiadas do Faustão' e 'Sexolândia' fizeram o sucesso da atração.



No dia 26 de março de 1993, terminava a novela Deus nos Acuda (Globo).

Silvio de Abreu buscava discutir o Brasil assolado pela corrupção do governo Fernando Collor através desta fábula que trazia Dercy Gonçalves como Celestina, anja que tomava conta do nosso país lá no céu, imbuída da conversão de um trambiqueiro em cidadão honesto - no caso, Maria Escandalosa, personagem de Cláudia Raia, que iniciou aqui o seu relacionamento com Edson Celulari (Ricardo Bismarck).



No dia 26 de março de 1994, terminava o programa infantil Rá-Tim-Bum (Cultura).

Com roteiro de Anna Muylaert e Flávio de Souza, e direção de Fernando Meirelles, a atração era voltada ao público pré-escolar e ensinava, de forma divertida, noções de cidadania, higiene, ecologia, português e matemática - além do inesquecível 'Senta que lá vem história'. Com Marcelo Tas como Professor Tibúrcio, Iara Jamra como Nina (da boneca Careca) e Carlos Moreno como Euclides.



No dia 26 de março de 1999, terminava a novela Estrela de Fogo (Record TV).

Folhetim de estreia do autor Yves Dumont, até então responsável por minisséries bíblicas exibidas nos telecultos da emissora. Estrela de Fogo, a cargo da JPO Produção, retratava o campo moderno, com cavalos que valiam milhões, máquinas encarregadas da colheita e até ídolo sertanejo - Ventania (Marcelo Aguiar). O êxito da trama determinou seu esticamento. Habilidoso, Yves manteve ritmo e qualidade.



No dia 26 de março de 2001, estreava a segunda versão do humorístico Escolinha do Professor Raimundo (Globo).

Sucesso na rádio e na televisão - a princípio como quadro do Chico Anysio Show (1982) e depois como programa solo nos fins de tarde - a 'Escolinha' do mestre eternizado por Chico Anysio voltava a ocupar lugar cativo na grade vespertina, antecedendo Malhação. Velhos conhecidos do público, como Rogério Cardoso (Rolando Lero), se misturaram a novos comediantes, caso de Heloísa Perissé (Tati).



No dia 26 de março de 2006, terminava o humorístico Meu Cunhado (SBT).

Sitcom estrelada por Ronald Golias, como Carlo Bronco, e Moacyr Franco, no papel de Washington Cantapedra. A série, com direção-geral de Guto Franco - inspirada em formato argentino - ganhou as telas do SBT um ano após a suspensão das gravações, ocorridas entre 2000 e 2003. Neste meio tempo, Guilhermina Guinle (irmã de Bronco; esposa de Cantapedra), migrou para a Globo. Luísa Thiré a substituiu.



No dia 26 de março de 2007, estreava a novela Maria Esperança (SBT).

Versão brasileira para Maria Mercedes (1992), clássico das novelas mexicanas, que deu início à fama de Thalia por aqui. Bárbara Paz se encarregou da protagonista, rebatizada como Maria Esperança, bilheteira que casa-se com um milionário (Nico Puig), para desespero da tia interesseira dele, Malvina (Tânia Bondezan); Maria, contudo, termina apaixonada por Eduardo (Ricardo Ramory), o filho da vilã.



No dia 26 de março de 2007, estreava o programa Você é o Jurado (SBT).

Nesta versão moderninha do Show de Calouros, Ratinho - e posteriormente Supla - recebiam cantores, humoristas e artistas de circo. A escolha do campeão de cada edição era feita pelo público. Cada um, contudo, ganhava no mínimo R$ 300, como recompensa pela apresentação. Ainda, a "voz do dia", de um convidado famoso que se apresentava cantando, sem mostrar o rosto.



No dia 26 de março de 2007, estreava o jornalístico SBT Realidade (SBT).

Contratada para o SBT Brasil, Ana Paula Padrão deixou a bancada do telejornal, cerca de um ano e meio após a estreia, para atuar como apresentadora, repórter e produtora desta atração, que trazia documentários sobre os mais variados temas, produzidos pela equipe do SBT ou por empresas associadas. Chegou ao fim dois anos depois, após sucessivas trocas de horário. Ana Paula então seguiu para a Record TV.



No dia 26 de março de 2012, estreava a novela Avenida Brasil (Globo).

A novela de João Emanuel Carneiro, um dos maiores fenômenos do horário nesta década, acompanhava a trajetória de Nina (Débora Falabella), abandonada no lixão de Mãe Lucinda (Vera Holtz), quando criança, pela madrasta Carminha (Adriana Esteves). A moça se emprega como cozinheira na casa de Tufão (Murilo Benício), o jogador de futebol que Carminha, então metida à santa, desposou.



No dia 26 de março de 2013, terminava o reality show Big Brother Brasil 13 (Globo).

Esta edição foi vencida pela mineira Fernanda Keulla, que faturou a soma de 1,5 milhão. Advogada, a moça fez sucesso posteriormente como apresentadora de TV, numa afiliada da Globo - hoje, é repórter do reality. O programa reuniu participantes de edições anteriores: Kléber "Bambam" (BBB 1) - substituído por Yuri (BBB 12) -, Dhomini (BBB3), Fani (BBB 7), Natália (BBB 8), Anamara e Elieser (BBB 10).



Leia também