21 de março na história da TV: em 2011, estreava Morde & Assopra


Confira os destaques do dia 21 de março na história da televisão brasileira:

No dia 21 de março de 1966, terminava o programa Um Cantor por Dez Milhões, Dez Milhões por Uma Canção (Globo).

A atração buscava novos talentos para a música brasileira e tinha apresentação alternada de Paulo Autran, Solange Dutra Noveli, Tônia Carrero e Walter Foster. Patrocinado pela loja O Rei da Voz, 'Um Milhão' era exibido às segundas-feiras, 20h.

No dia 21 de março de 1970, terminava a novela Algemas de Ouro (Record).

Drama de Benedito Ruy Barbosa, centrado na figura de Linda (Lolita Rodrigues), que, após se separar de Alexandre (Ivan Mesquita), parte para um segundo casamento, enfrentando a hostilidade de seus quatro filhos. A trama reuniu um dos melhores elencos da casa, até então: Fúlvio Stefanini, Laura Cardoso Márcia Maria, Maria Estela, Reny de Oliveira, Rolando Boldrin, Sérgio Mamberti, Susana Vieira e Yolanda Cardoso.



No dia 21 de março de 1983, estreava a novela Acorrentada (SBT).

Adaptação de Henrique Lobo para texto de Marissa Garrido, escritora mexicana. Em cena, Laura (Denise Del Vecchio), que passou os últimos dez anos de sua vida num sanatório. Ela regressa ao local após a má-sucedida união com o arrivista Maurício (Jonas Mello). É quando conhece Dr. Carlos (Hélio Souto), o homem que irá modificar sua vida. No elenco: Elias Gleizer, Elizabeth Gasper e Yara Lins.



No dia 21 de março de 2003, terminava a novela Sabor da Paixão (Globo).

De audiência pífia, Sabor da Paixão foi a primeira novela, em anos, a não ter seu capítulo reprisado no sábado, por conta da transmissão de uma partida de futebol. No centro da trama de Ana Maria Moretzsohn, o descontextualizado conto da Cinderela: a mocinha Diana (Letícia Spiller) perde o sapato no primeiro encontro com Alexandre (Luigi Baricelli), filha de sua rival Zelinda (Arlete Salles).



No dia 21 de março de 2007, estreava a novela Luz do Sol (Record).

A única produção de Ana Maria Moretzsohn na Record narrava os dilemas de Rosa (Luma Costa). Ela vive em paz com seus supostos pais até descobrir ser Drica, filha sequestrada de Stella (Luiza Tomé) e Freddy (Giuseppe Oristânio). Foi Lorena (Karine Carvalho), ex-namorada do tio de Drica, Leonardo (Guga Coelho), quem articulou o sequestro da pequena durante sua festa de cinco anos.



No dia 21 de março de 2011, estreava a novela Morde & Assopra (Globo).

Walcyr Carrasco uniu arqueologia e tecnologia nesta produção que tardou a engrenar. A trama das 19h fez sucesso quando o autor apostou todas as fichas em Dulce (Cássia Kis), a mãe humilde rejeitada pelo filho esnobe. Destaque também para a robô Naomi (Flávia Alessandra), criação do estudioso Ícaro (Mateus Solano). Já a protagonista, Júlia (Adriana Esteves), acabou em segundo plano.



No dia 21 de março de 2011, estreava a novela Rebelde (Record).

A Record adaptou, com sucesso, a trama mexicana já exibida no Brasil pelo SBT. Mas com os sucessivos esticamentos, a audiência se esvaiu. A autora Margareth Boury acabou deixando o projeto, então transformado numa espécie de Carrossel - produção em alta na concorrente. Óbvio que não deu certo. O grande mérito: o lançamento de Chay Suede, hoje com status de protagonista na Globo.


Deixe sua opinião


Leia também