18 de março na história da TV: em 2011, último capítulo do remake de Tititi


Confira os destaques do dia 18 de março na história da televisão brasileira:

No dia 18 de março de 1977, estreava o programa Concertos Internacionais (Globo).

Atração das madrugadas da emissora, que passou por períodos de veiculação mensal e semanal. Em cena, concertos de música clássica, óperas e balés; na apresentação, maestros, músicos e estrelas da teledramaturgia da Globo - como Andréa Beltrão e Glória Menezes -, trazendo informações sobre os compositores das obras e as orquestras que respondiam pela interpretação.



No dia 18 de março de 1983, terminava a novela Sol de Verão (Globo).

A morte do protagonista de Jardel Filho precipitou o fim desta trama de Manoel Carlos, que, curiosamente, não era protagonizada por uma Helena - Raquel (Irene Ravache), contudo, reservava todas as características das heroínas do autor. Abalado, Maneco entregou a conclusão do folhetim a Lauro César Muniz. Destaque para Tony Ramos e Débora Bloch; ele, o surdo-mudo Abel, apaixonado por Clara, personagem dela.



No dia 18 de março de 1983, estreava o programa Aplauso (Globo).

O título, já utilizado numa série em 1979, sintetizava a ideia básica do programa: homenagear os grandes nomes das artes brasileiras. Veiculado às sextas-feiras, dentro da faixa Sexta Super, Aplauso contava com Christiane Torloni, Isis de Oliveira, Marília Gabriela, Tônia Carrero e Zezé Motta na apresentação. Entrevistas com nomes do cinema e da música dividiam espaço com trechos de espetáculos teatrais.



No dia 18 de março de 2001, estreava o programa Domingo da Gente (Record).

Projeto que envolvia o cantor Netinho de Paula, do grupo Negritude Jr, então iniciando carreira na política. Essencialmente assistencialista, o Domingo da Gente reunia pessoas comuns, retratava suas histórias da vida e buscava auxílio (quase sempre, financeiro). Fez sucesso o quadro 'A Princesa e o Plebeu', criado por Netinho, que proporcionava um "dia de princesa" a jovens carentes.



No dia 18 de março de 2008, terminava o programa Charme (SBT).

Adriane Galisteu deixava a Record rumo ao SBT, onde estreou nas tardes de segunda-feira a sexta-feira com este programa, famoso graças às brincadeiras da loira ao telefone - "não diga alô, diga 'como vai Galisteu!'". Ao longo de sua estadia no canal de Silvio Santos, Adriane mudou diversas vezes de horário e de formato. Numa dessas, Galisteu surgiu de pijama, em "sinal de protesto", nas madrugadas do canal.



No dia 18 de março de 2011, terminava a segunda versão da novela Tititi (Globo).

Maria Adelaide Amaral, com o auxílio de Vincent Villari, uniu dois clássicos de Cassiano Gabus Mendes - Plumas & Paetês (1980) e Tititi (1985) - para criar este sucesso do horário das 19h! De 'Plumas', o lado dramático, representado por Marcela (Isis Valverde), jovem grávida vivendo sob falsa identidade; de Tititi, as divergências dos estilistas Jacques Leclair (Alexandre Borges) e Victor Valentim (Murilo Benício).


Deixe sua opinião


Leia também