16 de março na história da TV: em 2015, estreava Babilônia


Confira os destaques do dia 16 de março na história da televisão brasileira:

No dia 16 de março de 1968, terminava o programa Porque Hoje é Sábado (Globo).

A atração, apresentada pela cantora Dircinha Batista e pelos comediantes Grande Otelo, Lúcio Mauro e Paulo Silvino, era exibida sempre às 15h e contava com quadros de humor e gincanas. Durou pouquíssimo: de janeiro a março de 1968.

No dia 16 de março de 1981, estreava a novela Baila Comigo (Globo).

Primeiro trabalho de Manoel Carlos, como titular, às 20h, Baila Comigo era centrada nos desencontros dos gêmeos João Victor e Quinzinho (Tony Ramos), separados pelos próprios pais. Praticamente todos os personagens transitavam em torno dos irmãos e do esforço da mãe, Helena (Lilian Lemmertz), para que o segredo sobre eles não viesse à tona. No elenco: Betty Faria, Carlos Zara, Fernanda Montenegro, Fernando Torres, Lídia Brondi, Natália do Vale, Raul Cortez e Tereza Rachel.



No dia 16 de março de 1981, estreava o jornalístico Jornal Nacional 2ª Edição (Globo).

A emissora empregou o título de seu principal telejornal neste noticiário exibido na faixa das 23h, em substituição ao Jornal da Globo - que passou por várias mudanças até chegar ao formato definitivo, lançado em 1982.



No dia 16 de março de 1984, terminava a novela Voltei pra Você (Globo).

Benedito Ruy Barbosa propôs aqui a continuidade da história de Pituca (ou Liliane, Cristina Mullins) e Serelepe (ou Pedro, Paulo Castelli), crianças em Meu Pedacinho de Chão (1971) - então vividos por Patrícia Aires e Aires Pinto. Os dois se indispunham quando Pedro reivindicava a posse de terras do Coronel Epaminondas (Castro Gonzaga), pai de Liliane. Com Cosme dos Santos, Elizangela, Leonardo Villar, Maria Alves, Nelson Xavier, Neuza Amaral, Osmar Prado e Ruy Rezende.



No dia 16 de março de 1999, terminava o humorístico Vida ao Vivo Show (Globo).

Formatado como quadro do Fantástico (1973), 'Vida ao Vivo' - estrelado por Luiz Fernando Guimarães e Pedro Cardoso - ganhou as noites de terça-feira em 1998, passando a contar com as participações de Débora Bloch, Denise Fraga e Fernanda Torres. Passaram pela redação nomes como Euclydes Marinho, Evandro Mesquita, Geraldo Carneiro, Maria Carmem Barbosa e Patricya Travassos; na direção, Ary Coslov, Dennis Carvalho e Jorge Fernando.



No dia 16 de março de 2009, estreava a segunda versão da novela Paraíso (Globo).

Reedição do sucesso de Benedito Ruy Barbosa, também exibido às 18h, em 1982. Eriberto Leão, Nathalia Dill e Cássia Kis responderam pelos personagens de Kadu Moliterno, Cristina Mullins e Eloísa Mafalda - Zeca (Eriberto), o "filho do diabo", apaixonado por Maria Rita (Nathalia), criada pela mãe Mariana (Cássia) para "virar santa". Alexandre Nero, Bia Seidl, Carlos Vereza, Leopoldo Pacheco, Mauro Mendonça, Reginaldo Faria, Soraya Ravenle e o cantor Daniel também participaram.



No dia 16 de março de 2015, estreava a novela Babilônia (Globo).

Mesmo com três autores - Gilberto Braga, João Ximenes Braga e Ricardo Linhares - e sete colaborares, Babilônia perdeu completamente o rumo após a implantação de mudanças em nome da audiência. O folhetim acompanhava a trajetória de três mulheres: Beatriz (Gloria Pires), Inês (Adriana Esteves) e Regina (Camila Pitanga); as duas primeiras, cúmplices na morte do pai da última. Com Fernanda Montenegro, Nathalia Timberg, Chay Suede, Luísa Arraes, Marcos Palmeira e Thiago Fragoso.


Deixe sua opinião


Leia também