14 de março na história da TV: em 2005, estreava América


Confira os destaques do dia 14 de março na história da televisão brasileira:

No dia 14 de março de 1981, terminava a novela Coração Alado (Globo).

A trama de Janete Clair partia da ascensão do artista plástico Juca Pitanga (Tarcísio Meira), que deixa Pernambuco rumo ao Rio de Janeiro, onde se envolve com Vivian (Vera Fischer), moça simplória violentada sexualmente pelo cunhado, e Catucha (Débora Duarte), a problemática filha do marchand Alberto Karany (Walmor Chagas). Ainda, os dilemas de Maria Faz-Favor (Aracy Balabanian), envolvida com o falso barão de Von Strauss (Jardel Filho).



No dia 14 de março de 1981, terminava a novela Dulcinéa vai à Guerra (Band).

Spin-off de Cavalo Amarelo (1980), esta novela não conquistou o sucesso esperado, passando por troca de autores - Ivani Ribeiro, autora do folhetim original, se recusou a conduzir esta "continuação" desde o início -, mudanças até na abertura e, por fim, o já esperado encurtamento. Dercy Gonçalves vivia aqui a mesma personagem da bem-sucedida 'Cavalo', Dulcinéa, vedete do teatro rebolado. Outros atores, como Yoná Magalhães (Pepita), também retornaram.



No dia 14 de março de 1987, terminava o programa Clip Clip (Globo).

Com uma hora de duração, e cerca de dez musicais a cada edição, o Clip Clip deixou os sábados da Globo "mais musical". Dois bonecos - Muquirana Jones e Edgar Ganta -, produzidos pelo grupo de teatro Cem Modos, conduziam a atração, que destaca astros nacionais e internacionais. O programa, que marcou a estreia de Boninho como diretor, gerou "filhotes". Caso do Clip Clock, que exibia videoclipes entre as sessões de filmes do canal nas madrugadas.



No dia 14 de março de 2004, estreava a novela Metamorphoses (Record TV).

A estreia num dia atípico, domingo, foi só o primeiro dos muitos problemas desta coprodução Record TV - Casablanca. A narrativa não linear, castigada pelo texto irregular, afugentou o público. Sem êxito, a trama da médica que assume o rosto da irmã falecida foi toda reformulada. De nada adiantou... Nem mesmo as cenas reais de cirurgias plásticas realizadas pela atriz Tallyta Cardoso. No mesmo ano, a emissora retomou, sozinha, seu núcleo de dramaturgia com a bem-sucedida A Escrava Isaura.



No dia 14 de março de 2005, estreava o programa Bem Família (Band).

Novo título para a velha atração de Daniel Bork, culinarista que ocupa as manhãs da emissora há anos. O programa expandiu o conteúdo do bloco Receita Minuto, voltado apenas para o preparo de pratos simples, apostando em quadros sobre beleza e estabelecendo contato direto com o departamento de jornalismo da casa. Em 2009, foi substituído pelo Dia Dia, no ar até o início deste 2018, quando foi substituído pelo Cozinha do Bork - que mantém o mesmo conteúdo.



No dia 14 de março de 2005, estreava a novela América (Globo).

Após a bem-sucedida O Clone (2001), Gloria Perez e Jayme Monjardim retomavam a parceira com esta trama centrada em Sol (Deborah Secco), que atravessa a fronteira do México estabelecendo-se ilegalmente nos Estados Unidos, e Tião (Murilo Benício), peão de boiadeiro que almeja fazer fortuna montando o temido Boi Bandido. O desacerto inicial determinou a saída de Monjardim da direção. Após ajustes, a novela explodiu em todo o país! Ainda, abordagens sobre cleptomania e deficiência visual.



No dia 14 de março de 2012, terminava o programa esportivo Grandes Momentos do Esporte (Cultura).

Criado pelo jornalista Michel Laurence, o esportivo buscava relembrar fatos relacionados ao esporte, a partir de seus personagens - atletas, treinadores... A linha editorial buscava estabelecer um paralelo entre o passado e o presente. Entrou no ar em 1984, numa quinta-feira, mas acabou se firmando mesmo aos sábados, no período vespertino. Nomes com Débora Meneses, Luis Alberto Volpe e Vladir Lemos passaram pela apresentação.



No dia 14 de março de 2016, estreava a novela Velho Chico (Globo).

A novela de Benedito Ruy Barbosa, dividida em três fases, abordava o romance de Maria Tereza e Santo, defendidos por Camila Pitanga e Domingos Montagner na terceira etapa. Coronel Afrânio (Rodrigo Santoro / Antonio Fagundes) era o principal opositor do casal. As mortes de Umberto Magnani (Padre Romão), vítima de um derrame cerebral, e de Domingos, que se afogou no Rio São Francisco, no intervalo das gravações em Canindé de São Francisco, Sergipe, marcaram o folhetim.


Deixe sua opinião


Leia também