13 de março na história da TV: em 2015, último capítulo de Império


Confira os destaques do dia 13 de março na história da televisão brasileira:

No dia 13 de março de 1972, estreava a novela Na Idade do Lobo (Tupi).

O quarentão Fernando (Carlos Alberto) começa a rever seus conceitos ao conhecer Carina (Bete Mendes), jovem integrante do Exército da Salvação. O bon vivant, protagonista desta trama de Sérgio Jockyman, abandona não só a noiva Cláudia (Irene Ravache), como também sua grande paixão do passado, Paula (Pepita Rodrigues). A trama marcou o retorno de Márcia de Windsor às novelas, após anos como jurada do programa Flávio Cavalcanti.



No dia 13 de março de 1977, estreava o humorístico Os Trapalhões (Globo).

A emissora preparou dois programas especiais para apresentar seus quatro novos contratados - Renato Aragão (Didi), Dedé Santana, Mussum e Zacarias -, então estrelas da Tupi. Durante quase duas décadas, coube a eles preparar terreno para o Fantástico (1973), principal atração dos domingos da Globo. Neste período, Os Trapalhões investiram em filmes, gibis e toda sorte de produtos. Um êxito, comercial e de audiência. Atualmente, o VIVA reapresenta episódios da atração.



No dia 13 de março de 1983, estreava o programa Cometa Loucura (Globo).

Programa de auditório voltado para o público jovem, o 'Cometa' integrava a nova grade do canal para os domingos - exibido por volta de 16h. Os jovens Lauro Corona - prestes a entrar no ar em Louco Amor, às 20h - e Carla Camuratti - recém-saída de Sol de Verão, também às 20h - conduziam a atração. Claudia Jimenez também participava, interpretando uma vidente; já Pedro Cardoso vivia um extraterrestre. O tema de abertura ficou por conta do Roupa Nova.



No dia 13 de março de 1983, estreava a série Mário Fofoca (Globo).

O atrapalhado detetive Mário Cury (Luís Gustavo), sempre metido em seu indefectível terno xadrez, surgiu em Elas Por Elas, trama das 19h exibida no ano anterior. Fez tanto sucesso que virou filme e protagonizou esta série, de 17 episódios, veiculada aos domingos, 17h. Aqui, Fofoca deixava São Paulo - onde se passava a novela - para investigar casos dos mais variados no Rio de Janeiro, ao lado do amigo Donato Freitas (Osmar Prado).



No dia 13 de março de 1995, estreava a novela A Próxima Vítima (Globo).

Silvio de Abreu apostou alto no mistério e no suspense, mobilizando a atenção do telespectador em torno não só da descoberta da identidade do assassino do Opala Preto - Adalberto (Cecil Thiré) - como também a respeito de quem seria o próximo alvo do criminoso. Grandes momentos de Aracy Balabanian (Filomena), Cláudia Ohana (Isabela), José Wilker (Marcelo), Natália do Vale (Helena), Susana Vieira (Ana), Tony Ramos (Tonico), Vivianne Pasmanter (Irene), Yoná Magalhães (Carmela)...



No dia 13 de março de 2006, estreava a segunda versão da novela Sinhá Moça (Globo).

As irmãs Edmara e Edilene reeditavam o texto do pai, Benedito Ruy Barbosa, exibido exatos 20 anos antes. Aqui, Débora Falabella e Osmar Prado se encarregaram das personagens de Lucélia Santos e Rubens de Falco no original: a abolicionista Sinhá Moça e seu pai escravocrata, Barão de Araruna. A novela repetiu a trajetória de sucesso da primeira versão. Patrícia Pillar, a Ana do Véu de 1986, agora vivia a Baronesa Cândida. A estreante Isis Valverde se encarregou de Ana.



No dia 13 de março de 2006, estreava a novela Cidadão Brasileiro (Record TV).

A emissora reuniu um elenco de globais - Gabriel Braga Nunes, Lucélia Santos, Luiza Tomé, Paloma Duarte - para a trama de estreia do também global Lauro César Muniz na casa. O autor reeditou dois trabalhos seus, Escalada (1975) e O Casarão (1976), contando a saga de Antônio Maciel (Braga Nunes), homem que faz fortuna com seu faro para negócios. Lançado às 20h15, o folhetim acabou remanejado para 22h; as mudanças de horário acabaram por afetar a audiência.



No dia 13 de março de 2009, terminava a novela Negócio da China (Globo).

Miguel Falabella penou para emplacar esta trama, planejada para às 19h e exibida às 18h. Além da reestruturação do enredo, o autor precisou lidar com a saída de Fábio Assunção - em tratamento contra o vício em drogas - do elenco. Sobrou para Grazi Massafera (Lívia), Ricardo Pereira (João) e Bruna Marquezine (Flor-de-Lys), os mais exigidos durante a narrativa. Destaque também para a vilã Denise (Luciana Braga), decidida a destruir a irmã, Júlia (Natália do Vale).



No dia 13 de março de 2012, estreava a série Louco por Elas (Globo).

Projeto de João Falcão no qual Eduardo Moscovis vivia o treinador de futebol Léo, sempre cercado por mulheres. Começando pela ex-esposa Giovanna (Deborah Secco), passando pelas filhas Bárbara (Luiza Arraes) e Teodora (Laura Barreto), até a avó Violeta (Glória Menezes). Veiculada nas noites de terça-feira, Louco por Elas contou com três temporadas entre 2012 e 2013. Na abertura, Tiago Abravanel com 'Mamãe passou açúcar em mim', de Wilson Simonal.



No dia 13 de março de 2015, terminava a novela Império (Globo).

Folhetim de Aguinaldo Silva, Império elevou Alexandre Nero à categoria de galã máximo da TV brasileira. Seu Comendador José Alfredo mexeu com a cabeça (e a libido) do público, especialmente por conta de seu envolvimento com a ninfeta Maria Isis (Marina Ruy Barbosa). Lilia Cabral brilhou como Maria Marta, esposa do Comendador; já Drica Moraes, apontada como grande vilã, acabou sendo substituída por Marjorie Estiano - que havia interpretado a personagem, Cora, na primeira fase.



No dia 13 de março de 2017, estreava a segunda reapresentação de Senhora do Destino (2004) em Vale a Pena Ver de Novo (Globo).

Sem a obrigatoriedade de vincular classificação indicativa ao horário de exibição, a Globo decidiu resgatar Senhora do Destino, de Aguinaldo Silva, cuja primeira reprise (em 2009) foi precipitadamente interrompida por conta de problemas justamente com a classificação. Foram 195 capítulos - a mais longa reexibição da faixa -, apostando, especialmente, na vilã Nazaré (Renata Sorrah) e seus memes. O folhetim registrou 17,9 pontos de média final... Um sucesso!



No dia 13 de março de 2017, terminava a novela A Terra Prometida (Record TV).

A emissora dava continuidade ao filão bíblico com este texto, desenvolvido por Renato Modesto, centrado na figura de Josué (Sidney Sampaio), que guia o povo hebreu em busca de liberdade. Beth Goulart chamou a atenção como a vilã Léia, que buscava aproximar sua filha Samara (Paloma Bernardi) do protagonista, apaixonado por Aruna (Thaís Melchior). Também no elenco: Cristiana Oliveira, Elizângela, Guilherme Leme, Igor Rickli, Kadu Moliterno, Juliana Silveira e Miriam Freeland, entre outros.



No dia 13 de março de 2017, estreava a novela O Rico e Lázaro (Record TV).

A substituta de A Terra Prometida "nasceu" como minissérie. A autora Paula Richard foi estendendo a narrativa conforme avançava nas pesquisas para o projeto - até chegar à quantidade exigida por uma novela. Dudu Azevedo, Igor Rickli e Milena Toscano viviam os protagonistas Asher (o leproso), Zac (o rico) e Joana. No time, um grande número de "ex-globais", recém-saídos da casa, como Christine Fernandes e os irmãos Kayky e Sthefany Brito.



Leia também